Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Era australiano e jogador de râguebi. Uma placagem roubou-lhe a vida

  • 333

James Ackerman morreu como viveu: a jogar. Partiu esta segunda-feira, depois de  ter sofrido uma lesão craniana

Tinha 25 anos e era um dos avançados da equipa de râguebi australiana Sunshine Coast. E era também pai de dois filhos. James Ackerman morreu esta segunda-feira, na sequência de uma grave lesão craniana sofrida quando defendia as cores da sua equipa contra os North Devils, no último sábado, no campo da equipa adversária.

Uma placagem de Francis Molo aos cinco minutos de jogo, acabaria por lhe causar uma lesão no crânio. O jogador foi prontamente assistido no relvado do estádio dos Devils em Bishop Park e transferido para um hospital de Brisbane, a capital do estado de Queensland, na costa este da Austrália.

Em comunicado, a Liga de Râguebi de Queensland Rugby League, descreve Ackerman como “um campeão no campo, um herói da equipa, e alguém que jogava por amor ao jogo”.

O seu clube, o Sushine Coast, recorda o seu trabalho nas redes sociais. Citado pela BBC, Chris Flannery, chefe executivo dos Sunshine Coast, diz que Ackerman era um homem que  “vivia para o râguebi. Era competitivo, um ótimo jogador e, em muitas maneiras, o coração e alma da equipa”.

De acordo com jornais locais, o adversário que placou Ackerman, Francis Molo, de 20 anos ficou afetado com o acontecimento e está a ter  “dificuldades em superar” a tragédia.

Mensagens de apoio à família do jogador têm invadido as redes sociais Twitter e Facebook sob a “bandeira” de “Support for Ackers #8” onde continua a ser lembrado por fãs, jogadores e equipas de todo o mundo. 

Esta segunda-feira, duas equipas locais, os St. George-Llwara Dragons e os Sydney Roosters, fizeram um minuto de silêncio em honra de Ackerman e usaram  tarjas negras.