Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

A mão de Thierry Henry. Cinco milhões de euros e a Irlanda fechou a boca

  • 333

RAIGO PAJULA/ AFP/ Getty Images

A FIFA pagou à Associação Irlandesa de Futebol mais de cinco milhões de euros para evitar que os irlandeses avançassem com o processo legal e que o jogo com a França fosse repetido

Lembra-se da mão de Thierry Henry no jogo frente à Irlanda? Que deu origem ao golo que apurou a França para o Mundial de 2010 na África do Sul. Este é mais um dos momentos que vêm à tona no escândalo de subornos da FIFA. Esta quinta-feira, John Delaney, presidente da Associação Irlandesa de Futebol (FAI) admitiu ter recebido da FIFA mais de cinco milhões de euros para ficar calado.

Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009. Estádio de França, em Paris. Decorria o 103º minuto, quando o camisola 12 da seleção francesa ajeitou à bola com a mão e assistiu para William Gallas que acabou por colocar o esférico no fundo da baliza. O golo empatou a partida e deu vantagem aos franceses, que foram apurados para o Mundial de 2010, na África do Sul.

No dia seguinte ao jogo todos protestavam, até o ministro da Justiça da Irlanda: “Toda a gente viu que ele usou a mão duas vezes".

O próprio Thierry Henry deu a mão à palmatória (ou à bola): “Sim, houve a mão, mas eu não sou o árbitro, A bola fez ricochete e acertou-me na mão”.

Certo é que nada foi feito. A França foi até ao Mundial, onde não passou da fase de grupos, e a Irlanda ficou em casa. Agora John Delaney, em declarações ao canal RTE, esta quinta-feira o presidente da FAI disse que foi subornado para ficar calado: “Houve um pagamento à associação para não avançar com o procedimento legal”.

Delaney, em 2009, muito criticou Joseph Blatter por toda a polémica, mas os dois acabaram por chegaram a concordância rapidamente. “Fui ter com ele [Blatter] e disse-lhe o que sentia…houve uma troca de insultos, mas chegamos a um acordo. Isto aconteceu numa quinta-feira e na segunda-feira o acordo estava assinado e tudo despachado. Foi um acordo óptimo para a FAI, muito legitimo para a FAI”, disse o dirigente, citado pela agência Reuters.

Sobre valores o líder da FAI não falou, mas agência Reuters avança que foram mais de cinco milhões de euros.