Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

O príncipe supostamente descendente do profeta volta a tentar a FIFA

  • 333

Getty

Blatter abdicou, Ali Bin Al Hussein avança: príncipe jordano, que foi derrotado à segunda volta das últimas eleições da FIFA, reentra na corrida.

É oficial: instantes depois de Blatter ter anunciado ao mundo que vai ceder o lugar que foi seu por 17 anos, o jordano Ali Bin Al Hussein já se resolveu: é novamente candidato à presidência da FIFA. Já o tinha sido nas últimas eleições, que decorreram na passada sexta-feira, volta a sê-lo nas que hão de vir - entre dezembro de 2015 e março de 2016.

Ali Bin Al Hussein conseguiu ir à segunda volta nas eleições de sexta, mas não resistiu. A segunda volta não chegou a acontecer, porque o jordano saiu de cena - desistiu, agradeceu a quem teve coragem de votar nele e deixou o protagonismo para Blatter. Quatro dias depois, o sonho reacende-se,

Terceiro filho do Rei Hussein e supostamente descendente direto em 43ª geração do profeta Mohamed, Al Hussein, 39 anos, era vice-presidente da FIFA para a Ásia desde 2011, preside à Associação Jordana de Futebol desde 1999 e fundou o Projeto para Desenvolvimento do Futebol Asiático. 

Uma das suas propostas é limitar as presidências da FIFA a dois mandatos de quatro anos. Pretende também alargar o Mundial para 36 seleções, dando mais lugares à África e Ásia, e restaurar a rotação entre continentes dos países anfitriões da competição. 

Grande crítico de Blatter, tem manifestado a sua indignação face aos recentes escândalos de corrupção. Conta com o apoio do presidente da UEFA, Michel Platini. 

Na semana passada, Al Hussein anunciou ter contactado as autoridades após membros da sua campanha terem sido abordados por um indivíduo (cuja identidade não indicou, embora tenha esclarecido não ser membro da FIFA) que lhes disse poder assegurar 47 dos 209 votos das eleições e informações sobre as atividades financeiras de Blatter.

Após Figo ter desistido da corrida à presidência da FIFA, o príncipe jordano foi o único que se opôs a Blatter, mas acabou por perder. Esta terça-feira terá tido a sua pequena vitória.