Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Figo não fecha portas a nova candidatura à FIFA. "Foi um bom dia para o futebol"

  • 333

José Ventura

Antigo jogador português admite voltar a candidatar-se à FIFA, mas não se vai precipitar anunciando-a imediatamente, apurou o Expresso de fonte próxima. 

Direto ao assunto: "A mudança está finalmente a chegar". Figo celebra a renúncia de Blatter, sublinha a boa-nova e aponta ao futuro numa breve reação que o Expresso publicou em primeira mão e que o internacional português acabou por divulgar nas redes sociais.

"Um dia bom para FIFA e para o futebol.  Como disse na minha declaração de sexta-feira: o dia podia tardar, mas chegaria. Ele aí está! Devemos agora, de forma responsável e serena, procurar uma solução consensual em todo o mundo para que comece uma nova era de dinamismo, transparência e democracia na FIFA."

O Expresso apurou junto de fonte próxima que o internacional português não fecha a porta a uma nova candidatura à presidência da FIFA. Figo já esteve na corrida e acabou por se retirar, contestando todo o processo em torno das eleições que resultaram na reeleição de Blatter. Porque "caucionar este plebiscito é um erro".

Ao contrário do príncipe jordano Ali Bin Al Hussein, que perdeu na segunda volta das eleições e que já anunciou que se vai candidatar novamente, o português pretende analisar e avaliar serenamente os próximos passos, de forma a evitar precipitações. Ainda assim, o Expresso sabe que Figo não exclui uma nova candidatura à presidência da FIFA.

Na sexta-feira, dia em que Sepp Blatter foi eleito para continuar a liderar o organismo que tutela o futebol mundial, Figo antecipou a demissão do suíço. "Se tiver um mínimo de decência, terá de resignar nos próximos dias", escrevia em comunicado.

"Confrangedora e cínica a reação do senhor Blatter quando diz que não pode controlar toda a gente. Ofende a inteligência de todos nós. Foram essas pessoas que ele promoveu durante anos e que, juntamente com ele, fizeram da FIFA o que ela é hoje, um organismo decadente", acrescentava Figo, que deixava clara a sua intenção: contem com ele. "Permaneço disponível para ajudar a FIFA a reerguer-se de tudo isto." E assim permanece.