Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Joseph Blatter não receia ser detido. "Detido por que motivo?"

  • 333

FABRICE COFFRINI / AFP / Getty Images

O presidente da FIFA garantiu este sábado, em conferência de imprensa, que não receia ser detido no âmbito do escândalo de associação criminosa e corrupção que envolve dirigentes e ex-dirigentes do organismo. 

O presidente da FIFA, recém-eleito esta sexta-feira para o seu quinto mandato, garantiu este sábado aos jornalistas não estar envolvido no recente escândalo que compromete dirigentes e ex-dirigentes da FIFA, por alegada associação criminosa e corrupção. Questionado pelos jornalistas sobre se receia uma eventual detenção, Blatter nem hesitou: "Não, detido por que motivo?". E acrescentou que, como presidente da FIFA, não pode "responder pelo comportamento de outros" e que é necessário deixar "as investigações decorrer".

Ainda esta manhã, num outro momento, denunciou a existência de "um ódio vindo (...) da UEFA", cujo presidente pediu a sua demissão. "Eu perdoo, mas não esqueço", disse esta manhã, reforçando-o novamente durante a conferência de imprensa. 

Aos jornalistas, Joseph Blatter mostrou ainda a sua satisfação por ter sido reeleito presidente do organismo, na passada sexta-feira, sublinhando que esta reeleição mostra "que o congresso [da FIFA] é da opinião que sou o homem certo para resolver estes problemas". "Quero dizer que estou contente por ter sido reeleito para um novo mandato de quatro anos à frente da FIFA e, apesar de todos os problemas, 133 associações depositaram a sua confiança em mim".

Segundo o presidente da FIFA, ao longo dos dez anos em que assumiu a presidência, aquele organismo tem tentado eliminar casos desta natureza. 

Blatter anuncia que continuará o trabalho que tem realizado à frente da FIFA, sublinhando que tem agora um novo desafio: "resolver esta situação e restaurar a nossa reputação", adiantando que é necessário determinar se estes casos que esta semana vieram a público "são de natureza criminal ou administrativa". E acrescenta: "Mas não estou sozinho".

Em relação a David Gill, que recusou esta manhã ocupar um dos lugares de vice-presidente da FIFA, o presidente da FIFA não adianta muitos detalhes. "Não sei exatamente quais os planos de David Gill, mas ele não apresentou nenhuma desculpa", disse apenas. "Ontem foi escolhido para membro do comité executivo da FIFA e esta manhã não apareceu na reunião".


[notícia atualizada às 12h46]