Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Figo viu Blatter vencer e reage assim: "Se tiver decência, demite-se"

  • 333

Jos\303\251 Ventura

Ex-internacional português considera que o suíço não tem condições para continuar à frente da FIFA. "Ou o senhor Blatter sabia e foi conivente com os atos de corrupção e tráfico de influências, ou, se não sabia – como ele diz –, é porque não tem capacidade para liderar a FIFA." Leia na íntegra o que Figo pensa. Ele que está "disponível para a ajudar a FIFA" no futuro

Puxemos um bocadinho o filme  atrás - é só um bocadinho, prometemos. Isto foi o que Sepp Blatter disse logo que foi anunciado vencedor: "Este é o meu congresso e tenho o direito de fechá-lo e ter a última palavra. Como estão a ver, hoje estou de bom humor." Mais uma blatterada que Figo não gostou. O antigo internacional português que foi candidato à presidência da FIFA, enviou um comunicado às redações no qual deixou clara a sua intenção: contem com ele que ele andará por aqui no futuro.

"Permaneço disponível para ajudar a FIFA a reerguer-se de tudo isto." Por outras palavras, Figo diz-nos que está pronto para voltar à carga daqui a quatro anos - porque é novo (terá 46 anos), quer ganhar experiência e apoios.  

Esta frase está no final de um extenso texto em que Figo fala do cinismo de Blatter, da falta de decência de Blatter. E de um futebol doente que pertence a um "organismo decadente".

Segue o comunicado, na íntegra:

"Esta votação serviu apenas para caucionar a eleição de um homem que não pode manter-se à frente do futebol mundial. Ao contrário do que o senhor Blatter disse, os acontecimentos da passada quarta-feira não mancham o futebol, mancham a FIFA e os responsáveis que conduziram a organização até aqui. O futebol não tem culpa de que os dirigentes do organismo máximo que o devia regular não tenham integridade, nem carácter.

Não se pode liderar a FIFA fazendo tábua rasa das mais elementares regras de transparência, legalidade e democracia. Elas não estavam reunidas, como denunciei e se verificou. 

Ou o senhor Blatter sabia e foi conivente com os atos de corrupção e tráfico de influências, ou, se não sabia – como ele diz –, é porque não tem capacidade para liderar a FIFA. Não há outra forma de ver o problema. 

Perante tantas evidências, o facto de o principal responsável por a FIFA ter chegado a este ponto ter sido reeleito diz bem de como a organização está doente. 

Hoje foi outro dia negro em Zurique. Perdeu a FIFA, mas acima de tudo perdeu o futebol e todos aqueles que verdadeiramente se preocupam com ele. 

Confrangedora e cínica a reação do senhor Blatter quando diz que não pode controlar toda a gente. Ofende a inteligência de todos nós. Foram essas pessoas que ele promoveu durante anos e que juntamente com ele, fizeram da FIFA o que ela é hoje, um organismo decadente. 

Se o Senhor Blatter se preocupasse minimamente com o futebol, teria desistido de se apresentar à reeleição. Se tiver um mínimo de decência, terá de resignar nos próximos dias. 

Não me arrependo de nada. Lutei, persisti, empenhei-me pela regeneração de uma organização que tem de mudar de rumo. Vivemos uma situação de emergência e o futebol é o principal prejudicado pela atual situação. 

O que fiz foi denunciar o que vivi diretamente. Voltaria a fazê-lo e permaneço disponível para ajudar a FIFA a reerguer-se de tudo isto."

  • FIFA. Al-Hussein desiste, Blatter reeleito

    Suíco permanece à frente da FIFA, que está em pleno turbilhão com detenções e escândalos de corrupção. Blatter não venceu à primeira volta, mas esteve quase - ficou a sete votos de o conseguir. Logo de seguida, Al Bin Al-Hussein anunciou que desistia - agradeceu o apoio e coragem dos que votaram nele e retirou-se da corrida.