Siga-nos

Perfil

Expresso

Desporto

Rali de Portugal. Incêndio não põe em causa troço de Ponte de Lima

  • 333

Sebastien Ogier será o primeiro piloto a sair para a estrada esta manhã em Ponte de Lina, apesar do incêndio que pôs em perigo a realização desta classificativa do Rali de Portugal

REPORTER IMAGES / EPA

Assessor do rali enaltece o trabalho dos bombeiros, frisando que durante toda a noite trabalharam no sentido de controlar a situação e de fazer tudo para "afetar no mínimo toda a zona da prova em Ponte de Lima".

A primeira classificativa desta sexta-feira do Rali de Portugal, em Ponte de Lima, vai mesmo para a estrada, apesar do incêndio de quinta-feira que quase a cancelou e que ainda mantém uma frente ativa. Em declarações à agência Lusa, Miguel Fonseca, assessor de imprensa do Rali de Portugal, garante que a prova vai realizar-se de acordo com o programa inicialmente previsto.

"Há zonas do público que foram afetadas pelo incêndio, mas houve muito trabalho por parte dos bombeiros para garantir que a prova pudesse realizar-se", frisou.

O responsável pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo disse esta manhã à Lusa que o incêndio em floresta que deflagrou na quinta-feira à tarde na freguesia de Cabração, no concelho de Ponte Lima, estava às 7h15 com uma frente ativa. "Neste momento, temos uma única frente ativa com alguma extensão e sem acesso a veículos. Está a ser combatido com ferramentas manuais", adianta o comandante Robalo Simões.

O fogo deflagrou às 14h33 desta quinta-feira na freguesia de Escusa, Cabração e Moreira do Lima, concelho de Ponte de Lima, distrito de Viana do Castelo.

Robalo Simões adianta que no local estão na manhã desta sexta-feira várias corporações do distrito, do Porto, Aveiro e Braga, devendo "chegar a qualquer momento" dois pelotões de militares para ajudar no combate.

Miguel Fonseca enaltece o trabalho dos bombeiros no local, frisando que durante toda a noite trabalharam no sentido de controlar a situação e de fazer tudo para "afetar no mínimo toda a zona da prova em Ponte de Lima".

"As zonas de público afetadas foram devidamente trabalhadas para que se mantenham, não temos qualquer tipo de cancelamento de zonas de público. Vamos sim ter uma especial num cenário mais cinzento do que estava esperado, mas a prova vai seguir sem qualquer tipo de alteração", diz Miguel Fonseca.

No combate às chamas estão 203 operacionais, apoiados por 56 veículos.

O norueguês Andreas Mikkelsen (Volkswagen) arranca esta manhã para o segundo dia do Rali de Portugal como líder da prova, depois de ter sido o mais rápido na superespecial de quinta-feira, em Lousada. Os pilotos têm pela frente seis provas especiais de classificação e Mikkelsen parte com meio segundo de avanço sobre o francês Sébastien Ogier, campeão do mundo e líder do Mundial, que terá a tarefa de abrir a estrada a partir das 9h40.