Anterior
ERC vai averiguar pressões de Relvas ao "Público"
Seguinte
Líder do PSD/Porto acusa "Público" de manipular notícias
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Deputado do PSD diz que media se estão a substituir à oposição

Deputado do PSD diz que media se estão a substituir à oposição

"Quando a oposição parece não saber fazer o trabalho de crítica ao Governo, outros aparecem a fazê-lo", afirmou Matos Correira.
Lusa |

O deputado do PSD Matos Correia diz que "os media não se deveriam colocar no papel da oposição ao Governo", referindo-se ao caso que envolve alegadas pressões do ministro Miguel Relvas sobre jornalistas do Público.

"São muitas as situações em que, em vez dos partidos políticos, são os meios de comunicação social e os jornalistas a fazer o papel de críticos do governo", disse hoje à Lusa o deputado Matos Correia.

Para este deputado social democrata, "quando a oposição parece não saber fazer o trabalho de crítica ao governo, outros aparecem a fazê-lo".

"Não compreendo, por exemplo, como é que o Sindicato dos Jornalistas pode dizer que o ministro Miguel Relvas não tem condições para se manter no Governo", acrescenta José Matos Correia.

O deputado do PSD recusa aceitar a hipótese de Miguel Relvas ter feito pressões sobre jornalistas do Público e, por isso, considera que não há motivos para lhe retirar confiança política.

"Eu conheço bem Miguel Relvas e tenho a certeza de que ele não fez as ameaças de que é acusado. Não há, por isso, motivo para que o primeiro ministro lhe retire confiança política", diz Matos Correia.

Matos Correia considera que há "uma forte luta interna dentro do jornal Público, entre jornalistas e Direção de Informação", provocando uma polémica que acabou por colocar em causa a imagem do ministro Miguel Relvas.

 

 

 

 


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 45 Comentar
ordenar por:
mais votados
Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Algo de semelhante, afirmei eu ontem à noite, referindo-me a notícia que dava conta de mais esta intriga contra o Governo, num texto que comunistas censuraram, e que esta este:

Desta história toda, a única coisa concreta que se sabe, é que o Ministro prestou declarações esta semana na Assembleia da República.

Mais nada, em concreto, se conhece!

Parece-nos tudo isto, uma suja manobra, com o único objectivo e atacar o Senhor Ministro!

Existem provas de que o Ministro tenha feito algo para além de um simples telefonema de trabalho para o jornal referido?

Se existem, apresentem-nas!

Existem provas de que o Ministro tenha ameaçado alguém, por causa de uma qualquer reportagem?

Se existem, apresentem-nas!

É que nos parece completamente natural, que um Ministro que tem sobre a sua superior tutela a comunicação social da nossa Pátria, faça variadissimos telefonemas para todos os jornais, no exercício mais do que legítimo das suas funções!

Parece-nos isto, uma manobra das mesmas forças que tentam a todo o custo atacar o Governo que os portugueses democraticamente elegeram para governar a Pátria!

Parece-nos isto, nada mais do que um pretexto para caluniar, para mentir, para distorcer, para sujar, para desonrar também o Senhor Primeiro Ministro, usando como forma de vil ataque a figura de um colaborador que lhe é bastante próximo!

Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re:
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Os fósseis tal como as pedras também falam...
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Comunicado PIDESCO!!!
Re: Reenvio do meu texto de 19/5/2012
Este laranja ainda tem esperanca que o Relvas ...
Este laranja ainda tem esperanca que o Relvas possa ser reciclado !!!!!! Em qualquer pais decente ha muito que estava a contas com a justca ,quando se descobrir toda a verdade ja deve estar no Brasil a gozar o mensalao...
ORA AÍ ESTÃO ... OS ROBOTS ... LAVA RELVAS ...
Quantas vezes vamos pôr a roupa a lavar e deparamo-nos com nódoas de relva que resultam dos nossos piqueniques e brincadeiras ao ar livre? Podemos também encontrar estas nódoas, no chão da nossa casa. Para tirar nódoas de relva aplique os métodos aqui descritos.

    Nódoas de relva no chão : Acrescentar vinagre à água com detergente.

Nódoas de relva em tecidos naturais : Limpe com álcool ou tira-nódoas. Pode também utilizar uma mistura de 50 centilitros de água com a mesma quantidade de amónia e 5 centilitros de água oxigenada. Deixe que a nódoa absorva o líquido e lave com água fria.

Nódoas de relva em tecidos sintéticos : Dissolver a nódoa com álcool e secar com um papel mata-borrão.

Se os métodos indicados para os tecidos naturais e sintéticos não funcionarem, leve o tecido a uma lavandaria especializada em remoção de nódoas.

Os abranhos de hoje
Os abranhos de hoje, são iguais aos de ontem e prestam-se a papéis que lhe ficam bem, assentam que nem uma luva, a quem usa a mesma indumentária mais ou menos folclórica, vistosa e que abre portas e garante privilégios para a vida. não é deputado Matos.
Re: Os abranhos de hoje
Explicação ao Sr. Deputado
Ao Sr. deputado do psd, Matos Correia,

Artigo 37 (Constituição Républica Portuguesa)

Liberdade de expressão e informação

1. Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações.

2. O exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.

3. As infracções cometidas no exercício destes direitos ficam submetidas aos princípios gerais de direito criminal ou do ilícito de mera ordenação social, sendo a sua apreciação respectivamente da competência dos tribunais judiciais ou de entidade administrativa independente, nos termos da lei.

4. A todas as pessoas, singulares ou colectivas, é assegurado, em condições de igualdade e eficácia, o direito de resposta e de rectificação, bem como o direito a indemnização pelos danos sofridos.

Cumprimentos,
José Amílcar Ferreira Casimiro
Ou seja...
deputado do PSD considera que jornalistas não se devem queixar de serem ameaçados por "amigo" do governo sob pena de serem considerados agentes políticos da oposição.

eis o explendor do passoscoelhismo.
Re: Ou seja...
Re: Ou seja...
Re: Ou seja...
Re: Ou seja...
Re: Ou seja...
Re: Ou seja...
APRENDA A LER E NÃO SEJA FACCIOSO
Re: APRENDA A LER E NÃO SEJA FACCIOSO
Re: APRENDA A LER E NÃO SEJA FACCIOSO
O que acabou de dizer contraria o ministro...
Re: O que acabou de dizer contraria o ministro...
Um ditado popular...
... que diz que quem com ferros mata com ferros morre. Quero com isto dizer que, quando os média atacaram o anterir governo, fizeram precisamente o que Matos Correia agora se queixa, contribuindo fortemente para que o PSD com sofreguidão se atirasse ao pote.

Agora que eu acredito que Relvas fez o que o Público diz, lá isso acredito só por uma coisinha de nada: "não acredites em nada do que a comunicação social diz até ser oficialmente desmentido".

Oo...(está de mais... :) ......)
investigue-se
Faço daqui um apelo aos jornalistas portugueses e a quem mais o queira fazer. Investiguem o que fazia o sr. relvas no periodo anterior a tomar posse neste governo. Os negócios escuros aqui em Angola e por aí fora. Quem trabalhou com esse senhor tinha nojo dos negócios....
OBVIAMENTE
QUE OS media se estão a substituir à oposição!
Por favor...
Eu quero acreditar que isto é uma fantasia dum jornalista do expresso! Não aconteceu na realidade! Matos Correia!?, "isto" é o quê? Um deputado? Não pode ser! Eu não pago para "isto"!
Então um deputado português, diz "ISTO" e faz este tipo de considerações?! Internem o animal já, não que tenha cura, mas para não pegar a moléstia!
Media

Parece-me que independentemente do trabalho da Oposição, os Media podem e devem fazer o seu papel. Se bem feito, tanto melhor.

Oposições
Não tenho a mais pequena dúvida que a comunicação social portuguesa é de longe a mais esquerdista e politicamente instrumentalizada pela esquerda de todos os países da comunidade europeia. Não me esqueço de como andaram com o pimeiro governo de Guterres literalmente ao colo, permitindo a governação económicamente mais irresponsável de que há memória, criando-se assim, os escolhos (económicos, sindicais, autárquicos, etc) que foram aumentando e dificultando cada vez mais a sobrevivência económica do país. Esta comunicação social e estes partidos de esquerda que se arrogam defensores, detentores e pais morais da democracia portugesa são os primeiros a arranjar as mais baixas artimanhas para chutar com um partido e seus governantes que sejam democraticamente eleitos ou colocados no poder de acordo com a lei (lembro-me de Santana Lopes e Jorge Sampaio ). Temos de uma vez por todas de fazer valer o voto democrático. Caso contrário opte-se por uma ditadura ou por um governo anarca.
PARABÉNS!!
É possível que este tenha razão!! Já que não há oposição pelo menos que aqueles que nada têm que ver com os interesses instalados não se calem! Se é verdade só temos que lhes dar parabéns!! MUITO OBRIGADO SENHORES JORNALISTAS QUE NÃO ESTÃO NO SISTEMA!!
Como eu gosto de ler aqui os comentarios !!!!
Situações semelhantes eram comentadas de forma diametralmente oposta pelas mesmas pessoas ha um ou dois anos atras !!!!

HEHEHEHEHEH
NOVO PREC EM ACÇÃO
O que esta notícia revela, a ser verdade, não é mais do que a degradação progressiva da qualidade do nosso jornalismo, ficando em evidência que temos estalinista no IV poder a fingir que são democratas.
Espero, muito sinceramente, que este caso seja devidamente esclarecido e que, caso se venha a provar que os factos relatados são verdadeiros, que o primeiro-ministro ponha Ordem no jornalismo.
Caso os factos sejam verdadeiros e o ministro Miguel Relvas sido assediado, estaremos perante um novo quadro político que só pode levar milhões de portugueses a concluir que os gonçalvista tomaram o poder no jornalismo em Portugal e se permitem agir enquanto tal, com a impunidade com que sempre agiram e que é conhecida nos últimos 30 anos de história .
Não tenho dúvidas, nenhumas dúvidas, de que a jornalista tivesse inventado as acusações endereçadas a Miguel Relvas porque a mentira e a difamação é uma arma histórica das mulheres desde o tempo da princesa egípcia Potifar que acusou o judeu José de assedio sexual. Inclino-me, portanto, para a tese da inveracidade das acusações, sem precisar de melhores esclarecimentos.
Espero, acima de tudo, que o primeiro-ministro de Portugal não esteja refém do consenso alargado e aceitar a manipulação feita por jornalistas, a ingerência dos órgãos de comunicação social na agenda política e, ainda por cima, aceitar que uma nova Potifar faça patifarias ao Ministro Relvas.
Haja vergonha!
Gonçalvistas, nunca mais, nunca mais, nunca mais! ...
Comentários 45 Comentar

Últimas


Pub