Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Um espetáculo com bailarinos XXL para mudar mentalidades

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. "Nothing to lose" é o espetáculo que quer acabar com os estereótipos. Bailarinos avantajados, confiantes e com talento eram os requisitos mínimos para as audições. Ainda não estreou mas já está a dar que falar.

"Nothing to lose" é um espetáculo da coreógrafa australiana Kate Champion, cuja estreia está marcada para o próximo mês, no Festival de Sydney. Regra geral, os bailarinos são sempre magros e musculados, mas Champion primou pela irreverência ao solicitar audições com bailarinos gordos.

Acusaram-na de ser voyeurista, extravagante e inconveniente. Kate Champion estava consciente de que poderia ofender as pessoas ao usar palavras fortes, mas queria ser objetiva. "Utilizámos a palavra gorda e pedimos pessoas que se identificassem com os termos: gordo, obeso, grande", disse ao jornal "The Independent".

A ideia para o projeto começou a ressoar na cabeça das pessoas e levou a que imensos bailarinos se candidatassem para o espetáculo, cujo principal objetivo é acabar com os estereótipos e analisar os movimentos em corpos grandes.

Para Kate Champion "não se pode fazer um trabalho simples sobre o tamanho de um corpo, porque o assunto é incrivelmente complexo". "Nothing to lose" questiona as ideias dominantes ao colocar em palco bailarinos igualmente talentosos e confiantes como aqueles que nos acostumámos a ver.  

"Eu, pessoalmente, utilizo a palavra gordo porque pretendo recuperá-la e retirar a conotação negativa que transporta. É apenas uma descrição do meu corpo, como alta ou morena", referiu a coreógrafa.

Dois homens e cinco mulheres numa coreografia que promete ser energética, alegre e cuja inspiração partiu das suas próprias experiências pessoais. Um grupo de bailarinos sem experiência profissional, mas com conhecimentos de performance.

A sua companhia Force Majeure "sempre se esforçou para representar o público em cima do palco. Queremos que este espetáculo tenha um forte impacto visual porque é, sem dúvida, sobre os corpos grandes", garante Kate Champion.