Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Temos um pretexto para ouvir de novo o OK Computer

  • 333

Não é que um disco destes precise de pretextos para ser ouvido e amado, mas há um facto noticioso que o envolve.

"OK Computer" dos Radiohead foi incluído na lista anual de álbuns selecionados pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos que vão integrar o catálogo de preservação da instituição. "The Doors" dos "The Doors", "Ac-Cent-Tchu-Ate teh Positive" de Johnny Mercer, "The Miseducation" de Lauryn Hill e "A Wild and Crazy Guy" de Steve Martin estão também entre os 25 discos escolhidos.

Editado em 1997, "OK Computer" é considerado pelo público como um dos álbuns mais importantes da banda e do britpop em geral. Com êxitos como "Paranoid Android" e "Karma Police", que ilustram uma descrença profunda na nova era da informação, caraterizada por políticos corruptos, consumismo desenfreado, um niilismo crescente, psicopatas e acidentes de avião, o álbum chamou atenção da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.

"Vejo este disco como parte integrante de um fenómeno que estamos a assistir no panorama da música rock, que talvez tenha começado com os Velvet Underground mas também com os The Doors, que também foram distinguidos este ano. A música dita popular não transmite somente uma visão positiva da realidade", explica o curador Matt Barton, da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. "Acredito que OK Computer reflete isto."

A Biblioteca do Congresso, seleciona todos os anos trabalhos que considera "culturalmente, historicamente ou esteticamente importantes". O álbum dos Radiohead junta-se assim a trabalhos dos Ramones, U2, Sonic Youth, Frank Sinatra, incluindo a cobertura radiofónica do funeral do Presidente Franklin D Roosevelt em 1945. 

"OK Computer" é o terceiro álbum da discografia dos Radiohead. Foi o primeiro álbum autoproduzido pela banda, com a assistência do produtor e músico Nigel Godrich.