Siga-nos

Perfil

Expresso

Teatro

Crianças como protagonistas num percurso cénico itinerante

  • 333

Pedro Gonçalves

Com um espaço cenográfico feito de livros, a nova performance da bailarina espanhola Ainhoa Vidal é dirigida ao público infantil. “Asas de Papel” estreia-se este sábado, 9, no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa

Vanessa Queiroga

Uma performance com um cenário lúdico composto por esculturas dentro de livros suspensos, onde as letras no papel são ainda indecifráveis e é a imaginação quem conduz a narrativa, assim se pode definir "Asas de Papel". Pela voz e corpo da bailarina Ainhoa Vidal, o espetáculo, dirigido a crianças dos três aos cinco anos, é apresentado este sábado, dia 9, na Sala Mário Viegas no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa.

A partir de um desafio lançado pela programadora Susana Duarte, Ainhoa Vidal iniciou a criação do seu mais novo trabalho, no qual as crianças estão em cena e integram a construção da narrativa. O convite estende-se aos pais, que podem permanecer no palco com os pequenos ou apenas observá-los de longe.

Em duas residências artísticas em escolas de Lisboa, a artista desenvolveu a dramaturgia do espetáculo de dança e do conto de histórias. "A todo momento, tive o feedback dos miúdos. Percebi o tempo de atenção a cada ideia proposta. Em cena, há momentos que veem e que ouvem, e há também momentos que interagem", explica a bailarina.

A história de amizade entre duas crianças, Miguel e Simone, com um cavalo leva-nos pelo enredo de "Asas de Papel". Segundo a artista, o conteúdo dos livros que estão no cenário são segredos ainda incompreensíveis para os pequenos, o que atrai a curiosidade e estimula a imaginação de um mundo paralelo. O cenário criado por Carla Martínez e a banda sonora ao vivo de Pedro Gonçalves auxiliam na composição deste universo poético.

"A movimentação e a história narrada em cena partiram das propostas realizadas com as crianças nas residências", sublinha Ainhoa Vidal. Nascida em Espanha e a residir há 16 anos em Portugal, a bailarina já realizou no passado vários trabalhos dirigidos ao público infantil, com destaque para "Uma luz na terra", dirigido a bebés dos oito aos 24 meses, e "Alcovas Brancas", que aborda a relação da mulher com a maternidade.

"Asas de Papel" fica em temporada no Teatro Municipal São Luiz até 17 de abril, de segunda a sexta-feira, às 10h30 (para o público escolar), e aos sábados e domingos com duas sessões, às 11h e às 16h. O bilhete custa entre três e sete euros.