Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Ministro cancela participação em homenagem a César Monteiro

Poiares Maduro vai faltar amanhã à leitura de textos do realizador João César Monteiro, devido à polémica que a sua participação na iniciativa suscitou. 

Alexandre Costa, com Lusa

O ministro do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, cancelou a sua participação na leitura de textos do realizador João César Monteiro, que irá decorrer amanhã no Museu de História Natural, em Lisboa, no âmbito do Lisbon & Estoril Film Festival.

A participação do ministro na homenagem, que ocorre dez anos após a morte do cineasta, foi anunciada no passado sábado no Expresso. A revelação gerou entretanto uma carta aberta de contestação, assinada por Pedro Costa, Margarida Gil, Manoel de Oliveira, Maria Velho da Costa, Herberto Hélder e Rui Chafes, entre outros, o que acabou por levar à sua desistência.

Na carta, lê-se que a sessão de leitura de textos de César Monteiro, revelando uma faceta menos conhecida do realizador, é feita sem ter sido pedida autorização ao filho, "que é quem detém os direitos autorais do poeta-cineasta".

"A haver pedido de autorização para aquele 'momento de arte', a resposta consistiria apenas numa palavra: Não. E assim é, ou foi, que a desfaçatez ganhou direito sobre a decência e o direito", sustentam os autores.

Na carta, manifestam sobretudo um "vincado repúdio" perante "uma operação 'política' a todos os títulos repugnante", por incluir o ministro Poiares Maduro a ler "uma carta do César [Monteiro] a um organismo estatal e sabe-se lá mais o quê de igual jaez e esperta solicitude".

Em causa, alegam, está o "intuito subjacente de branquear, neutralizar, festivalar o furor interventivo, manifestamente anti-sistema, do cineasta, assim posto à mercê de tais canibais homenageantes".