Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Leilão de arte rende €1,5 milhões para os Espírito Santo

  • 333

A poncheira de porcelana da China do Período Qialong, ex-líbris do leilão da coleção dos Espírito Santo Silva superou os 140 mil euros estimados e foi vendida por 204 mil euros

O leilão da coleção de Ana Maria Espírito Santo Bustorff Silva realizado esta quarta-feira em Londres, rendeu um total de 1.076.938 libras, indica a Cristhie's. As peças mais destacadas do acervo chegaram mesmo a superar as estimativas.

Os olhos do mundo estavam postos sobre a poncheira de porcelana da China do Período Qialong, decorada com base numa pintura de William Hogarth. O ex-líbris do leilão da herdeira de Ricardo Espírito Santo Silva superou os 140 mil euros que lhe estavam estimados e foi vendida por cerca de 204 mil euros.

Ainda no que diz respeito às porcelanas, duas terrinas chinesas "Familie rose" datadas de 1755-1765, também elas do Período Qialong, foram estrelas no leilão, chegando à quantia de 30 mil euros. 

Satisfeita com o resultado total do leilão, 1.076.938 libras (1.500.431 euros), a Christie's destaca no seu site oficial as vendas de maior monta do leilão desta manhã. Dos célebres quadros de Jean-Baptiste Pillement, que o colecionador tanto apreciava, foram comprados por cerca de 133 mil euros. Já o "Retrato da Condessa Julia Potocka", pintado pelo vienense Johann Baptist Lampi, valeu 73 mil euros.

No que respeita ao mobiliário francês do século XVIII, o preferido de Ricardo Espírito Santo Silva, dos destaques do leilão nem tudo foi comprado. A mais interessante escrivaninha estilo Luís XVI, assinada pelo mesttre Jean-François Leleu, ficou para uma próxima ida à praça. Estava avaliada, recorde-se em 35 mil euros.

Acabou por ser um conjunto de cadeiras "à la reine", também elas estilo Luís XVI e da autoria de Louis-Madelaine Pluvinet, que chegou mais alto no valor da venda: 48.560 euros.

No domínio da ourivesaria, dois touros em prata oriundos da Alemanha e datados do final do século XIX renderam aos netos do colecionador, entre os quais a ex-ministra da Cultura, Maria João Bustorff, 4500 euros.