Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Filme húngaro vence Fantasporto

  • 333

"Liza, a Fada-Raposa" ganhou o grande prémio do cinema fantástico na 35ª edição do Fantasporto.

Uma comédia fantástica e divertida do realizador húngaro Karoly Meszáros, "Liza, a Fada-Raposa", ganhou a secção oficial do cinema fantástico na 35ª edição do Fantasporto que encerra sábado à noite. Este filme teve também o prémio para os melhores efeitos especiais.

"Wolfcop" do canadiano Lowell Dean, uma comédia de horror sobre um polícia falhado que, mesmo depois de se transformar em lobisomem, continua a perseguir criminosos, mereceu o prémio especial do júri da principal secção do Festival de Cinema Fantástico do Porto.

A melhor curta-metragem foi o filme cubano de ficção científica "Habana", uma fábula sobre o que pode suceder quando se criam monstros para combater os nossos inimigos.

Na semana dos realizadores a produção iraquiano-alemã "Memories on Stone" de Shakwat Amin Korki obteve o grande prémio, teve o melhor argumento e uma menção especial do Júri da Crítica.

Num registo entre o documentário e a ficção conta a história de dois amigos que têm que mover mundos, fundos e preconceitos para realizar um filme sobre a revolta curda contra Saddam Hussein.

Se fosse preciso confirmar que o documentário ficcionado está pujante, outra obra nesse registo, "Hassan's Way", do espanhol Ernesto de Nova, alcançou o prémio especial do júri. A saga de um emigrante marroquino que só quer voltar à sua terra montado no seu trator.

Na secção Orient Express a vitória foi para "Hae Moo" do sul-coreano Shim Sung-Bo, uma história dramática de pescadores levados a traficar emigrantes no seu arrastão.

O cinema filipino, revelado nesta 35 ª edição do Fantasporto, teve direito a um prémio especial que distinguiu "Children's Show" de Roderick Cabrido, sobre as crianças pobres arrastadas para combates clandestinos.

O júri da crítica deu o seu prémio ao realizador francês Tierry Seban, autor de "Pseudonym", um inquietante filme sobre o que se pode esconder por detrás dos engates pela internet. O filme de Nuno Noivo e João Fanfas "Renaissance" venceu o prémio cinema português.

Fazendo o balanço do festival deste ano Mário Dorminsky disse que o maior "defeito" foi "ter havido demasiados filmes", admitindo a possibilidade de um formato ligeiramente mais alargado para a edição de 2016, marcada para 26 de Fevereiro.

Beatriz Pacheco Pereira, a outra organizadora do festival, disse que o Fantasporto continuará "na sua missão de formar a próxima geração de cinéfilos" e que na edição do ano que vem os clássicos e as retrospetivas terão um maior espaço, "dando aos grandes filmes do passado a dignidade que merecem: uma grande sala, um grande ecrã e público".