Siga-nos

Perfil

Expresso

Cinema

O exílio de Stefan Zweig

“Stefan Zweig – Adeus à Europa”

O biopic de Maria Schrader sobre o escritor austríaco passa na mostra Kino, em três cidades portuguesas

A 14ª edição do Kino, mostra de cinema de expressão alemã organizada pelo Goethe-Institut Portugal, vai decorrer de quinta-feira até dia 24, em Lisboa (no Cinema São Jorge e nas instalações do Instituto), seguindo depois para o Porto (de 26 a 29, no Teatro Rivoli e no Passos Manuel) e para Coimbra (de 1 a 3, no Teatro Gil Vicente).

Do programa, composto por ficções e documentários, destaca-se a antestreia nacional de “Stefan Zweig – Adeus à Europa”, da alemã Maria Schrader, um biopic sobre o exílio do escritor austríaco. O filme foca-se nas viagens de Zweig nos seus últimos anos de vida, de Buenos Aires a Nova Iorque, até Petrópolis (aonde se suicidaria em 1942) e testemunha a angústia de um homem que, desde a escalada do nazismo, se apercebe que o seu mundo está a chegar ao fim. Interpretado por Josef Hader e Barbara Sukowa, “Stefan Zweig – Adeus à Europa” chega às salas no dia 23 de fevereiro e foi parcialmente rodado no nosso país e com atores portugueses.

O filme de abertura do Kino é “Fukushima, Meu Amor”, que levou a cineasta Doris Dörrie à cidade nipónica do título, pouco depois do acidente nuclear de 2011. Noutra obra de ficção, “Fado”, primeira longa-metragem de Jonas Rothländer, um jovem médico alemão tenta recuperar o amor da ex-namorada, que se mudou para Lisboa. Coproduzido pela Primeira Idade, o filme foi praticamente todo rodado na capital portuguesa. Na secção KinoDoc, uma nota de atenção para “Homo Sapiens”, do austríaco Nikolaus Geyrhalter, um périplo sobre construções humanas deixadas ao abandono.