Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Scarlett Johansson desiste do papel de transsexual depois de fortes ataques da comunidade LGBT

Anthony Harvey/GETTY

Ia fazer de Dante "Tex" Gill, uma mulher que se identificava com o sexo masculino e que se tornou numa conhecida criminosa com ligações ao mundo da porstituição. Mas Scarlett Johansson voltou atrás e diz agora que entende as queixas da comunidade LGBT, que pede mais representação no mundo do cinema

A atriz norte-americana Scarlett Johansson desistiu do seu papel do drama Rub & Tug, onde iria fazer o papel de Dante “Tex” Gill, uma mulher transgénero que se identificava com o sexo masculino e que usava o seu negócio de massagens como fachada para um rede de prostituição, depois de vários membros da comunidade LGBT terem acusado Johansson de não dar espaço aos atores transsexuais.

“À luz das questões éticas recentemente levantadas por causa do meu papel como Dante “Tex” Gill, decidi retirar o meu nome nome do projeto”, disse a atriz, através de um comunicado enviado à revista Out. “O nosso entendimento cultural sobre as pessoas transgénero continua a fazer progressos e eu aprendi muito com a comunidade desde que fiz os meus primeiros comentários sobre as críticas e apercebi-me que fui insensível”, lê-se ainda no comunicado de Johansson.

A atriz Trace Lysette, da série “Transparente” não foi exatamente: “Está tudo f****o em Hollywood. Eu não estaria tão chocada se pudesse fazer audições para papéis de mulheres como a Jennifer Lawrence e a Scarlett mas sabemos bem que não é esse o caso. Que caos”, escreveu no Twitter.

Depois de anunciado o futuro papel de Johansson no drama baseado em factos reais, que será realizado por Rupert Sanders, realizador de “Agente do Futuro”, a reação de Johansson ainda enfureceu mais a comunidade. “Eles que peçam comentários Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman”, dizia o comunicado numa referência a três actores que fizeram papéis de transsexuais sem o serem.

Mas agora, neste último comunicado, Johansson esforçou-se por se redimir. “Apesar de ter gostado muito de representar a história da vida de Dante, percebo porque é que tantos de vocês consideram que ele devia ser pintado no grande ecrã por uma pessoa transsexual e fico contente por este debate, apesar de controverso, ter desencadado uma discussão sobre a diversidade no cinema”, disse ainda a atriz.