Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Um novo Picasso em leilão

Mural. Picasso começou a trabalhar na “Guernica” a 1 de maio de 1937, cinco dias após o bombardeamento da vila basca

FOTO Dora Maar/vegap, Madrid, 2017

Uma tela de Picasso, considerada um raro autorretrato do pintor, numa época em temia ser deportado pelas tropas nazis, será leiloada em Nova Iorque, pela Christie's, que estima chegar a 70 milhões de dólares (56 milhões de euros)

Uma tela de Picasso, considerada um raro autorretrato do pintor, numa época em temia ser deportado pelas tropas nazis, será leiloada em Nova Iorque, pela Christie's, que estima chegar a 70 milhões de dólares (56 milhões de euros).
Este óleo sobre tela de 130 por 81 centímetros, intitulado "O Marinheiro", apresenta um homem com um olhar triste, vestindo uma camisa listrada e sentado numa cadeira, descreve a agência noticiosa France Presse.
A tela está exposta em Hong Kong até terça-feira, antes de partir para Nova Iorque, onde será leiloada no dia 15 de maio.
"A imagem está num ambiente bastante escuro, nervosa, tensa e sombria", descreveu Conor Jordan, vice-presidente da secção de Arte Moderna e Impressionista da Christie's.
A personagem no quadro está com a cabeça sobre a mão direita, "um símbolo tradicional de melancolia", acrescentou Jordan.
Esta tela foi pintada por Pablo Picasso em 1943 quando vivia em Paris, cidade então ocupada por tropas alemãs. O pintor espanhol tinha medo de ser preso pela Gestapo, a polícia secreta nazi, e ser deportado para um campo de concentração.
Em 2015, a pintura "A mulher de Argel (versão O)", de Picasso, foi arrematada por 179,4 milhões de dólares (146 milhões de euros) na Christie's, em Nova Iorque, tornando-se a pintura mais cara já vendida em leilão.