Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Xutos & Pontapés vão continuar e admitem voltar a gravar em 2018

rita carmo

Os Xutos & Pontapés vão manter-se na estrada e contam editar um novo disco ainda neste ano, com músicas que incluem sons da guitarra de Zé Pedro, foi anunciado neste sábado

Os Xutos & Pontapés vão continuar a existir como banda e admitem gravar um novo disco ainda em 2018, com músicas que incluem sons da guitarra de Zé Pedro, que morreu em novembro. O anúncio foi feito Xutos neste sábado, 13 de janeiro, data do 39º aniversário do primeiro espetáculo da banda.

"Hoje é um bom dia para olharmos para a frente. Os Xutos vão continuar. Temos entre mãos as músicas novas, muitas delas com a guitarra do Zé já gravada, estamos a contar com o disco de originais neste ano", lê-se numa mensagem partilhada hoje à tarde na conta oficial da banda na rede social Facebook.

Os Xutos & Pontapés, que deram o primeiro concerto faz hoje 39 anos, nos Alunos de Apolo em Lisboa, revelam terem "alguns convites para atuações especiais de homenagem ao Zé Pedro" e "vários pedidos para concertos", que vão aceitar.

"Não é fácil, a ausência pesa toneladas, sabemos que vai ser diferente, esperamos que seja bom. Com a ajuda de todos a gente não vai parar", partilhou a banda.

O guitarrista dos Xutos & Pontapés, Zé Pedro, morreu no dia 30 de novembro, aos 61 anos.
Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente nessa altura, a propósito do concerto de fim de digressão.

"Puro", de 2014, é o mais recente álbum dos Xutos & Pontapés. Em 2017 divulgaram os temas "Alepo", cuja letra foi composta com frases da menina síria Bana Alabed, e "Sementes do impossível" para um filme de Joaquim Leitão.

O último concerto no qual Zé Pedro participou foi a 04 de novembro, no Coliseu de Lisboa, que assinalou o fim da digressão de 2017 ano dos Xutos & Pontapés. Já depois da morte do guitarrista, na noite da passagem de ano, a banda atuou em Albufeira. Em palco não esteve nenhum músico no lugar de Zé Pedro, ao lado dos restantes elementos: Tim, Kalú, João Cabeleira e Gui.

Em declarações à Lusa, Kabeca, o agente do grupo 'rock', referiu que a banda decidiu manter o concerto para honrar compromissos e que depois iria refletir sobre o futuro.