Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Ativistas francesas criticam carta aberta assinada por Catherine Deneuve sobre assédio

Um grupo de ativistas francesas afirma que Catherine Deneuve e as outras signatárias da carta estão a usar a exposição dos meios de comunicação para que a violência sexual pareça “normal”

Ativistas franceses de direitos das mulheres criticaram uma carta aberta assinada pela atriz Catherine Deneuve e outras personalidades, na qual afirmam que os homens estão a ser injustamente acusados de má conduta sexual.

Num texto publicado esta quarta-feira no site Franceinfotv, a feminista Caroline De Haas e mais de 30 ativistas criticaram fortemente a carta.

As ativistas afirmam que Catherine Deneuve e as outras signatárias da carta estão a usar a exposição dos meios de comunicação para que a violência sexual pareça "normal".

Catherine Deneuve está entre cerca de 100 artistas, estudiosas e outras personalidades que assinaram uma carta aberta, publicada na terça-feira, dizendo que o "protesto legítimo contra a violência sexual" decorrente do escândalo do produtor de cinema Harvey Weinstein, nos Estados Unidos, foi longe demais e ameaça as liberdades sexuais conquistadas.

Na carta, Catherine Deneuve e outras francesas proeminentes dizem que os homens estão a ser injustamente alvo de acusações de má conduta sexual e devem ser livres para "importunar" as mulheres.

A carta reflete os sentimentos mistos que se vive na França sobre as acusações generalizadas de má conduta sexual sistemática por homens poderosos que decorreram em vários países nos últimos meses.

A França é o lar de feministas famosas e a carta assinada por Catherine Deneuve atraiu muitas críticas.

No entanto, muitas pessoas concordam com as preocupações de Deneuve sobre um novo "puritanismo", que vai contra as tradições francesas de sedução.