Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Quadro raro de Rembrandt a partir de hoje no Museu Nacional de Arte Antiga

Um desenho de uma paisagem, um tema raro na obra do pintor holandês, integra a exposição “Rembrandt. Elos Perdidos” apresentada por ocasião da visita de Estado a Portugal dos reis da Holanda

A exposição “Rembrandt. Elos Perdidos”, que integra uma paisagem, tema raro na obra do pintor holandês do século XVII, abre esta quinta-feira ao público no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa.

Apresentada por ocasião da visita de Estado a Portugal dos reis da Holanda, esta exposição foi concebida como um díptico, com a exposição da tela de Rembrandt van Rijn (1606-1669), em colaboração com o Rijksmuseum, e um conjunto de obras das Coleções Reais holandesas, onde se entrecruza a relação com Portugal.

De acordo com o museu, estarão patentes os retratos de Leonor de Áustria, rainha de Portugal pelo casamento com Dom Manuel I, antes de ser rainha de França, e do seu irmão, o imperador Carlos V, da autoria de Joos van Cleve.

Também fazem parte do conjunto retratos das princesas Sabina Délfica e Leonor Maurícia de Portugal, pintados por Gerard van Honthorst, fruto de uma união dinástica entre os dois reinos, da qual se expõe também documentação.

Das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga, a mostra conta com um desenho de Rembrandt, cujo tema é também a paisagem, e com um retrato de Dona Leonor, do mesmo Joos van Cleve, dialogando com as obras vindas da Holanda.

A exposição “Rembrandt. Elos Perdidos” ficará patente até 7 janeiro de 2018, na Sala do Teto Pintado.