Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

“A Guerra dos Tronos” regressou (e quase levou a internet abaixo)

home box office inc/divulgação

A sétima temporada da série já se estreou na HBO e chega esta noite a Portugal, no SyFy. Este domingo, o número de fãs a tentar aceder ao site do canal norte-americano era tão alto que este deixou de funcionar

O episódio inaugural da sétima temporada de “A Guerra dos Tronos” estreou-se este domingo nos Estados Unidos e o regresso da série, criada a partir da saga literária de George R.R. Martin, voltou a cativar milhões de telespectadores. O número de fãs a acompanhar os episódios não para de aumentar desde o início da história — caso raro entre os maiores sucessos que a televisão já teve — e parece que ainda há muitos que preferem vê-la na televisão linear. As audiências deste 61º episódio ainda não foram divulgadas pela Nielsen, mas espera-se que voltem a bater recordes.

Embora “A Guerra dos Tronos” seja um fenómeno à parte (é mesmo a única em que o número de telespectadores a ver em direto cresce 10% a cada temporada), o fenómeno vai além da televisão tradicional e inclui também a transmissão online (indisponível de forma oficial em território português). No último ano, cada episódio foi visto em média por 7,69 milhões de norte-americanos na hora a que a série entrou na grelha da HBO, perfazendo 25,7 milhões no total.

A construção de um fenómeno assim requer muita perícia e não há uma fórmula perfeita para atingir os números de “A Guerra dos Tronos”, mas há linhas que separam um blockbuster global das demais produções. Para Casey Bloys, diretor de programas da HBO; o maior segredo está no argumento. “O Dan e o Dave sabem como contar uma história”, assegura em declarações à “Forbes”, trazendo os criadores David Benioff e D.B. Weiss para um verdadeiro trono televisivo. “Fizeram um trabalho de mestre temporada após temporada, de modo a que valesse a pena regressar” à série no ano seguinte. Foi exatamente isso que fizeram milhões de fãs de “A Guerra dos Tronos”, que decidiram entrar no site da HBO durante a estreia televisiva da sétima temporada, na última noite.

QUANDO A CRIAÇÃO ULTRAPASSA O CRIADOR

Apesar de esperar uma grande afluência em HBO.com, o canal norte-americano não estava preparada para picos de atividade tão altos. O site acabou por deixar de funcionar durante a transmissão televisiva de “A Guerra dos Tronos” e o problema só foi resolvido durante a segunda parte do episódio. Durante a primeira meia hora, tudo o que aparecia no ecrã era uma mensagem de erro, que informava da impossibilidade de carregar os conteúdos do site.

O negócio principal da HBO ainda passa essencialmente pela televisão linear, mas o canal de cabo por subscrição tem vindo a apostar noutras plataformas. A entrada no mundo do streaming através do HBO Now (também indisponível no mercado português) veio trazer novas formas de ver “A Guerra dos Tronos”, mas também não foi a melhor solução para alguns fãs.

O problema parece não ter sido tão grave como no site — o serviço nunca ficou completamente indisponível —, mas as dificuldades de acesso foram sentidas por vários utilizadores. De acordo com as informações recolhidas pelo “The Hollywood Reporter”, houve quem não conseguisse aceder ao episódio que marcava o regresso da série e outros que se queixaram de cortes na emissão. O canal já reagiu aos problemas denunciados nas redes sociais e explicou que foram detetadas dificuldades na América Latina, negando a existência de qualquer anomalia nos servidores do HBO Now ou do HBO Go (para assinantes de cabo) nos Estados Unidos.

A IMPORTÂNCIA DO CONTEXTO (E A PARTICIPAÇÃO DE ED SHEERAN)

À semelhança do que aconteceu em temporadas anteriores, o primeiro episódio desta temporada teve alguns momentos feitos para quem precisava de refrescar a memória, mas os fãs pareceram agradados com a estratégia e reagiram em massa nas redes sociais. O Twitter voltou a ser o palco secundário da série — é na rede social que surgem grande parte dos comentários em direto — e a aposta dos produtores executivos D.B. Weiss e David Benioff acabou por colher frutos. A produção da HBO foi o assunto mais falado durante toda a noite e as hashtags relacionadas com a série ou com algumas das personagens foram as mais utilizadas. Houve um momento que ninguém esperava e que teve opiniões diversas.

Entre os milhares de utilizadores que apoiaram a decisão dos argumentistas de convidar Ed Sheeran para “A Guerra dos Tronos”, houve também quem não achasse grande piada à entrada do cantor britânico em cena. As piadas surgiram naturalmente e houve até quem criasse memes com o ídolo de Maisie Williams (a atriz que interpreta Arya). Já se sabia que Ed Sheeran teria uma participação especial nesta sétima temporada, mas nunca se pensou que o artista britânico entrasse logo no episódio inaugural.

A estreia da sétima temporada de “A Guerra dos Tronos” está marcada para esta segunda-feira, pelas 22h15, no SyFy. Quem não viu as temporadas anteriores ainda poderá aceder aos 60 episódios que antecederam ‘Dragonstone’ através das gravações automáticas dos principais operadores de televisão. Aqui, o Expresso reuniu a resposta a sete questões sobre a mais recente temporada da série de sucesso norte-americana.