Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Realizador de “Moonlight” já está a trabalhar num novo filme

Jenkins escreveu o argumento de “If Beale Street Could Talk” com o apoio da família de Baldwin

Foto Stephanie Keith/REUTERS

Barry Jenkins vai realizar a versão cinematográfica de “If Beale Street Could Talk”, romance de James Baldwin sobre uma mulher grávida que tenta provar a inocência do seu noivo, acusado de violação

O realizador norte-americano Barry Jenkins, responsável por “Moonlight” (vencedor dos Óscares de Melhor Filme, Melhor Argumento Adaptado e Melhor Ator Secundário), está a preparar uma nova longa metragem. Trata-se da adaptação de “If Beale Street Could Talk”, romance escrito por James Baldwin em 1974, que conta a história de uma mulher grávida do Harlem nova-iorquino, cuja missão passa por provar a inocência do seu noivo, injustamente acusado de violação.

Depois de “I Am Not Your Negro — Não Sou o Teu Negro” — criado a partir de “Remember This House”, o trabalho biográfico iniciado por Baldwin em 1979 e que só ganhou forma este ano através do realizador haitiano Raoul Peck —, este é o segundo trabalho do poeta e ensaísta norte-americano a ganhar nova vida no cinema em pouco tempo. Em comunicado, Barry Jenkins conta que “traduzir o poder do amor de Tish e Fonny para o grande ecrã à imagem de Baldwin é um sonho que tenho à muito tempo”.

O argumento do novo filme foi escrito por Jenkins em 2013, com a família de Baldwin a apoiar o projeto. De acordo com a revista “Variety”, a irmã de Baldwin, Gloria Karefa-Smart, mostrou-se confiante no resultado desta parceria. A responsável pelo espólio do autor já tinha ficado muito impressionada com “Medicine for Melancholy”, longa-metragem de estreia do realizador.

AVENTURA NA TELEVISÃO

Enquanto “If Beale Street Could Talk” se mantém em pré-produção, Barry Jenkins estará também a fazer uma nova série de televisão. O cineasta norte-americano vai escrever e realizar “The Underground Railroad” para a Amazon, ainda sem data de estreia. A minissérie, baseada no best-seller homónimo de Colson Whitehead, conta a história de uma escrava que fugiu de um campo de trabalhos forçados no Estado norte-americano da Georgia, e que persegue a liberdade através de uma ferrovia subterrânea.

No comunicado disponibilizado pela Amazon, Barry Jenkins considera o romance “um trabalho inovador que respeita a história da nossa nação”, explorando-a “de uma forma reflexiva e original”. A empresa norte-americana, dona do serviço de 'streaming' Amazon Prime Video, não revelou quaisquer pormenores sobre o elenco ou qual a previsão para a estreia da série.