Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Gaia com arte para pensar o mundo a ouvir Omar Souleyman e Sensible Soccers

A primeira edição do Fórum Internacional “Gaia Todo Um Mundo” invade o centro histórico da cidade durante quatro dias, para pensar o desenvolvimento sustentável e as alterações climáticas

André Manuel Correia

Os efeitos das alterações climáticas são uma realidade e torna-se urgente pensar o planeta. Esta é a premissa e o ponto de partida para a primeira edição do Fórum Internacional “Gaia Todo Um Mundo” (GTM), organizado em Vila Nova de Gaia, entre 15 e 18 de junho. Trata-se de uma viagem pela rota da reflexão, a partir da bifurcação entre o universo intelectual e as mundividências da cultura. Mais de 230 especialistas e artistas compõem a tripulação e levam-nos, ao longo de mais de 72 ações, numa volta ao mundo para olhá-lo, sentir-lhe o pulso e entendê-lo. Neste evento embarcam o conhecimento, a música, as artes visuais, o arrojo da arte urbana, as marionetas e a leveza da dança, sempre num estrito envolvimento com a comunidade local.

Vila Nova de Gaia pretende, desta forma, ir ao encontro à sua história e transformar-se novamente num ponto de partida e de chegada, desta feita para quem procura um mundo mais sustentável. Para tal, vão pisar a terra firme do município criadores e especialistas das mais diversas latitudes, como Angola, Nova Zelândia, Brasil, Síria, Austrália, Islândia ou Gâmbia. Não trazem mercadorias, mas chegam com novas perspetivas e disponíveis para participarem nesta “festa do planeta”, como a adjetiva a organização, ainda sem pormenorizar datas e horários para os múltiplos espetáculos e debates.

A programação já desvendada revela nomes tão díspares como o músico sírio Omar Souleyman – que trará na bagagem o terceiro álbum, “To Syria, With Love”, descrito como uma “ode pessoal” e com data de lançamento anunciada para 2 de junho – ou os portugueses Sensible Soccers, uma banda tornada num clássico da internet e que faz “música para a cabeça”, com uma sonoridade “tipo fiambre”, onde se encontram sucessos do panorama independente, como “AFG” ou “Sofrendo por você”. Bonga, Luca Argel, Filho da Mãe, Octa Push, Batida e Nadine Khouri são outros dos nomes que agitam a oferta musical desta primeira edição do fórum internacional.

Na conferência de imprensa de apresentação do certame, a coordenadora Ana Carvalho explicou que para a área do pensamento foram convocados uma série de investigadores, ativistas e responsáveis por ações de cidadania, “que vêm até nós ajudar-nos a pensar esta temática e também falar-nos das suas experiências”. Entre os nomes já avançados encontra-se o especialista e presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Filipe Duarte Santos, a quem se juntam o veterano jornalista ambiental Geoffrey Lean, Hans-Gunther Clev e Robert Hall.

A cidade ganhará também mais cor e vivacidade com as intervenções de arte urbana, de forma a valorizar e requalificar o território, com obras a cargo de criadores como Pascal Ferreira, Miguel Januário, Bordalo II, Cumul Collective, o espanhol Isaak Cordal, o italiano Andreco ou o argentino Pastel. “Esta é a área artística que melhor trabalha as alterações climáticas. Vai ter impacto em termos visuais e de interação com o público que vai circular no centro histórico. As pessoas vão ser desafiadas”, garante Ana Carvalho.

O Fórum Internacional GTM vai invadir espaços como o convento do séc. XIV Corpus Christi, ponto nevrálgico do evento, mas também outros espaços, como o Armazém 22 e o Zé da Micha, o Mercado da Beira-Rio, os largos Sampaio Bruno e Santa Marinha, assim como as ruas Guilherme Gomes Fernandes ou Guilherme Braga.

O orçamento para esta primeira edição é 160 mil euros, revelou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, interessado em que a iniciativa "marque a cidade, dentro e fora dos seus limites, e que permita criar calendário de programação cultural”: Em declarações ao Expresso, assegurou que este evento terá continuidade nos próximos anos.