Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Salvador Sobral na imprensa estrangeira

GLEB GARANICH/EPA

A vitória de Salvador Sobral na Eurovisão correu mundo e mereceu destaque nos media de todo o mundo. O Expresso fez a ronda por algumas destas publicações

Expresso

Em Espanha, que foi a última classificada do festival, as reações foram muitas. O “El País” fala num “golpe de modéstia” e sublinha a “bonita história” de Salvador que até “andou a cantar por Maiorca” e o “El Mundo” fala no homem “simples” que “nunca amou a Eurovisão”. Já o “ABC” garante que “se pode ganhar a Eurovisão se se quiser” e o “La Vanguardia” descreve como Salvador “encantou profissionais e espetadores com uma canção emotiva”. A agência Efe destaca as imediatas felicitações que o vencedor da noite mereceu em Portugal, a começar no Presidente da República.

Noutras paragens, o tema mereceu igualmente a atenção mediática. O “The New York Times” conta como Portugal teve uma vitória inédita na Eurovisão com uma “balada melancólica”. Em São Paulo, no Brasil, a “Folha” destaca o feito de Salvador que derrotou todos os adversários com uma “balada jazz escrita por Luisa Sobral”.

Em terras de Sua Majestade, o “Guardian” fala numa “música decente” e o “The Indepedent” lembra que Portugal é o concorrente que há mais tempo participava no festival sem nunca ter ganho. O francês “Le Monde” destaca também o facto de ser a primeira vitória portuguesa no festival e a agência russa Sputnik dá conta da música “ao estilo jazz” que venceu nos votos dos júris e dos espetadores.

Nos antípodas, o site neo-zelandês “Stuff” destaca a primeira vitória de Portugal na Eurovisão, enquanto na vizinha Austrália o “The Australian diz que um “baladeiro português” venceu.