Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu Alberto Carneiro

Rui Duarte Silva

Escultor era visto como um dos maiores artistas portugueses do século XX e o grande renovador da escultura em Portugal

Morreu hoje com 79 anos de idade o escultor Alberto Carneiro. A braços há vários anos com uma sucessão de problemas de saúde, Alberto Carneiro faleceu ao início da manhã no Hospital de S. João, onde se encontrava internado.

Em declarações ao Expresso, o crítico de arte Bernardo Pinto de Almeida, autor da recentemente publicada “História da Arte Portuguesa no Século XX”, considerou ser Alberto Carneiro, "sem sombra de dúvida, um dos maiores artistas portugueses do século XX. Marcou o sentido da arte portuguesa e tudo o que foi feito depois dele".

Nascido a 20 de setembro de 1937, em São Mamede do Coronado, concelho da Trofa, distrito do Porto, Alberto Carneiro foi o grande dinamizador dos Simpósios de Esculura de Santo Tirso, organizados a partir de 1991, e dos quais resultou o Museu Internacional de Escultura Contemporânea, o único museu de escultura ao ar livre existente em Portugal.

Até por isso, como sublinha Bernardo Pinto de Almeida, Alberto Carneiro "foi porventura o artista que mais trouxe uma renovação à escultura em Portugal". Não só pensava a escultura de um modo inovador, como deu um contributo decisivo para a criação de um diálogo aberto com a grande arte internacional.

Pinto de Almeida considera que o escultor "influenciou toda a arte depois dele" e recorda uma iniciativa pioneira, a que o artista chamou Caderno negro, exposto na Galeria Alvarez, e que consistia em levar a escultura para o campo do projeto.

Com uma grande atividade e participação em participação em importantes eventos internacionais, como as bienais de Veneza ou S. Paulo, teve entre abril e junho de 2013 uma importante exposição no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, intitulada “Alberto Carneiro: Arte Vida / Vida Arte – revelações de energias e movimentos da matéria”.