Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Então Dancem

Alain Platel estará no Porto com Les Ballets C de la B

D.R.

Porto, Matosinhos e Gaia põem a frente Atlântica a dançar com o festival “Dias Da Dança”, apostado em conquistar um espaço internacional

Está de volta o festival Dias Da Dança-DDD, organizado entre 27 de abril e 13 de maio pelos municípios do Porto, de Matosinhos e de Vila Nova de Gaia, este ano com mais uma semana de duração, mais verbas, mais artistas internacionais e nova vontade de reforçar as componentes educativas.

Há grandes nomes da dança incluídos na programação, como o sempre surpreendente belga Alain Platel com os Ballets C de la B, uma francesa com larga história, Maguy Marin, o italiano Michele Rizzo ou, como seria de esperar, a Companhia Nacional de Bailado.

Com um orçamento de €493 mil, os DDD representam uma grande vontade de aposta das três autarquias envolvidas na promoção de um festival capaz de vir a alcançar uma verdadeira dimensão internacional.

No sábado, 29, no Grande Auditório MO Rivoli, acontece o grande espetáculo do fim de semana de abertura. A francesa Maguy Marin, que foi discípula de Maurice Béjart, apresenta “BIT” e este é já o seu 49º espetáculo em mais de 40 anos de carreira.

A abrir, no primeiro dia do festival, Né Barros estreia “Muros” no Teatro Nacional São João (TNSJ). Trata-se de uma peça que poderá ser vista ainda nos dois dias seguintes e na qual é abordada a sensível questão das questões migratórias. Ainda no dia 27 haverá uma edição especial das “Quintas de Leitura”. Intitulada “Dar corda à palavra”, decorrerá, como sempre, no Auditório do Campo Alegre e terá como convidados protagonistas oriundos de diferentes expressões artísticas, com poetas, bailarinos ou músicos.

Na continuidade do projeto “Sete anos Sete peças”, Cláudia Reis mostra no dia 29, no teatro Constantino Nery, em Matosinhos, “Terça-Feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar”, através do qual convoca o mundo do cinema de animação criado a partir do uso de plasticina, cartolina ou apenas uma linha.

Uma das estimulantes iniciativas previstas no programa detalhado por Tiago Guedes, diretor artístico do Teatro Municipal Rivoli, decorrerá a 2 de maio, no armazém 22, em Gaia, com o “Quartas de Dança”. É um concurso aberto a todos os jovens artistas, que são desafiados a apresentarem trabalhos na área da dança, com um máximo de 10 minutos de duração. O objetivo é detetar propostas passíveis de se desenvolverem em diferentes formatos, seja ao vivo, seja em DVD.

Celui qui tombe é o espetáculo de encerramento do festival DDD

Celui qui tombe é o espetáculo de encerramento do festival DDD

Geraldine Aresteanu

A dança e o corpo

A Companhia Nacional de Bailado estará no TNSJ nos dias 5, 6 e 11 de maio. Apresentará “A perna esquerda de Tchaikovsky”, com coreografia de Tiago Rodrigues. É uma peça escrita e dirigida à volta da memória do corpo da bailarina Barbora Hruskova. Agora com 42 anos de idade, Hruskova revisita a sua carreira e o modo como uma vida entregue à dança afetou ou deixou marcas no corpo. Será acompanhada ao piano, ao vivo, por Mário Laginha.

“Nicht Schlafen” (Não dormir) é o programa preparado por Alain Platel com Les Ballets C de la B. Estará no TNSJ nos dias 8 e 9 de maio. É um espetáculo inspirado na música de Gustav Mahler, durante o qual Platel estabelece um paralelo entre a música e os problemas sociais e culturais do século XX na Europa. Steven Prengels, colaborador habitual de Platel, usa cantos polifónicos africanos e sons de animais a dormir para criar paisagens sonoras.

O espetáculo de encerramento tem tudo para vir a ser um dos grandes acontecimentos desta edição dos DDD. Marcado para o Coliseu do Porto, apresentará um trabalho do francês Yoann Bourgeois, acrobata, ator malabarista e bailarino, intitulado “Celui qui tombe”. Ao que parece, tudo pode acontecer num palco em constante movimento, com seis artistas a desafiarem as leis da gravidade. Tentam manter o equilíbrio numa imponente plataforma suspensa, que se inclina, roda, balança, sobe e desce.

No âmbito da programação para o espaço público, destaque para Paulo Ribeiro, que a 6 de maio apresentará no Convento Corpus Christi, em Gaia, “Ceci n’est pas un film – Dueto para maçã e ovo”.

Estão previstas duas “masterclasses” com Ennio Sanmarco e Michelle Rizzo, além de três “workshops” com artistas ou companhias internacionais como Matthieu Doze, Noé Soulier e Manolis Tsipos. Com artistas ou companhias nacionais realizar-se-ão nove “workshops”. Além de três sessões de cinema, realizar-se-ão duas exposições e seis conversas pós-espetáculo.

As Câmaras do Porto, de Gaia e de Matosinhos candidataram o festival ao programa Norte 20.20. Os resultados deviam ter sido publicados no passado mês de novembro, mas não há ainda qualquer indicação de eventuais apoios que venham a ser prestados.