Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Há Festa do Jazz no São Luiz (e dura três dias)

Divulgação

A 15ª edição da Festa do Jazz acontece de 7 a 9 de abril, em Lisboa, e promete mostrar o melhor da música improvisada feita em Portugal. Além dos concertos e da atribuição de prémios, será também lançado o disco do Prémio de Composição Bernardo Sassetti

O São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa, recebe a Festa do Jazz no próximo mês — entre 7 e 9 de abril — com uma programação extensa que inclui concertos, showcases das escolas superiores e atribuição de prémios. O acontecimento, único em Portugal, junta "músicos, estudantes, produtores, amantes do jazz, técnicos, jornalistas, pais, amigos e conhecidos" para três dias com o melhor da música de improviso.

Prioridade à nova geração

Desta 15ª edição, o diretor artístico Carlos Martins destaca "o trabalho desenvolvido em parceria com escolas de todo o país", naquele que considera ser "um dos mais evidentes reflexos do trabalho desenvolvido ao longo do ano pela Associação Sons da Lusofonia", assim como "um espelho da vitalidade do jazz em Portugal e da importância de um espaço como a Festa". No texto de apresentação, o responsável explica também que é nesta iniciativa "que os jovens talentos dão publicamente os primeiros passos nas suas carreiras, de uma forma sustentada e sólida".

No que diz respeito aos espetáculos das escolas superiores, a noite de abertura da Festa do Jazz (7 de abril) conta com um showcase na Sala Luis Miguel Cintra, com a Universidade de Évora, a Escola Superior de Música de Lisboa, a Universidade Lusíada de Lisboa e a Escola Superior de Artes e Espetáculo (ESMAE) a apresentarem-se pelas 21h30. Segue-se um dos momentos mais aguardados. A Big Band — formada por alunos das escolas superiores em residência artística com o maestro Luís Cunha, numa resposta ao desafio lançado pelo baterista Micheal Lauren — sobe ao palco à meia-noite, para um concerto com os clássicos do jazz nacional e internacional. No final, há Jam Session no Jardim de Inverno.

No dia seguinte, a partir das 14h30, são sete as escolas — Escola de Jazz Luis Villas-Boas HCP (Lisboa), Conservatório — Escola das Artes da Mdeira Engº Luiz Peter Clode (Funchal), Escola de Jazz Convívio (Guimarães), Escola de Jazz do Barreiro, Conservatório de Música do Porto, Escola de Jazz de Braga e Interartes (Cascais) — que dão música ao Jardim de Inverno, com a programação a prolongar-se pelo domingo. A 9 de abril será a vez de outras academias —JB Jazz (Lisboa), a Academia de Música Valentim de Carvalho (Porto), a Tone Music School (Coimbra), o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian (Aveiro), a Jahas Rockschool (Porto), a Ofício das Artes (Montemor-o-Novo), a Escola Artística do Conservatório de Música de Coimbra e a Art'J (Albergaria-a-Velha) —mostrarem o que valem no mesmo local.

Num evento que pauta pelas múltiplas experiências musicais, há muitos sons para ouvir ao vivo e a dificuldade estará em gerir a agenda para o fim de semana. No dia 8 de abril (sábado), os Clocks and Clouds (Luís Vicente no trompete, Rodrigo Pinheiro ao piano, Hernâni Faustino no contrabaixo e Marco Franco na bateria) atuam na Sala Mário Viegas pelas 17 horas, dando depois lugar à voz de Joana Machado. A artista leva o seu quinto trabalho de originais, "Lifestories", ao palco pelas 18h30. Na Sala Luis Miguel Cintra, destaque para o concerto de Bruno Pernadas (21h45), que vai mostrar o seu "Worst Summer Ever" em formato quinteto, e para o "Transporte Coletivo" de José Salgueiro, pelas 23 horas. A 9 de abril (domingo), os concertos voltam à Sala Mário Viegas (Pedro Neves Trio, 15h30; Cícero Lee, 17h; Luís Barrigas, 18h30) e à Sala Luis Miguel Cintra (Lisbon Freedom Unit, 19h30; João Mortágua, 21h30; Michael Lauren All Stars, 23h)

Premiar o talento

Quanto aos prémios, estes serão entregues ao longo da programação, destacando-se os Prémios Festa do Jazz 2017 e o Prémio de Composição Bernardo Sassetti. Este galardão, agora na segunda edição, será entregue a Pedro Melo Alves (Omniae Ensemble), detentor de "uma escrita arrojada, que muitas vezes nos surpreende e nos desafia" (como descreve o jurado Mário Laginha). Ainda a propósito, será lançado um disco do Prémio de Composição Bernardo Sassetti, da editora Nisch.

Os bilhetes para a Festa do Jazz, uma coprodução da Associação Sons da Lusofonia e do São Luiz Teatro Municipal, estão disponíveis em formato passe e dividem-se entre a Sala Luis Miguel Cintra (passe de um dia a €12; passe de dois dias a €18) e a Sala Mário Viegas (passe de um dia a €8; passe de dois dias a €12). Há descontos aplicáveis para os passes diários (para menores de 30 anos e a maiores de 65, assim como para os detentores do cartão Maria & Luiz).