Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

2017 – uma odisseia em Lisboa

Rui Lacas

Lisboa é uma cidade destruída por um Sol perigoso. As pessoas estão refugiadas num espaço à parte do mundo como o conhecemos. E se seis jovens fossem escolhidos para experimentar um lugar virtual? Este é o enredo de uma série de ficção científica para ser lida semanalmente, de forma gratuita, em formato ebook

Bernardo Mendonça

Bernardo Mendonça

Texto

Jornalista

Bem-vindos ao futuro. Ou melhor, a um presente alternativo com contornos futuristas. E se a luz de Lisboa, considerada por todos uma das maiores maravilhas mundiais, que atrai turistas de todo o planeta, se tivesse tornado um perigo, um risco sério a comprometer a vida e a saúde de quem andasse nas ruas da capital, desprotegido perante os raios solares malignos? E se toda a comunidade se tivesse refugiado num espaço fechado protegido de um céu que é um forno? E se seis jovens, após completarem os 17 anos, fossem escolhidos para testar um modelo de mundo virtual – o Rest. E se saíssem desse espaço protegido e controlado onde tinham nascido para as ruas de um mundo recriado à semelhança do real, onde já ninguém habitava há mais de meio século? Missão: reparar e recriar um lugar que parecia irreparável.

Este é o mote para a história de “Segunda Vez - uma distopia lisboeta ”, uma aventura empolgante de 13 episódios sobre uma Lisboa alternativa, com um enredo que vicia a cada página e que pode ser acompanhada semanalmente e de forma gratuita a partir de 24 de março até 16 de junho naquele site. O formato de “Segunda Vez” é inédito em Portugal porque reúne as características de um livro e as modalidades de uma série de televisão, com episódios regulares disponíveis em versão ebook gratuito. Há novos capítulos todas as semanas que podem ser lidos online no site desta série ou descarregadas em formato epub, mobi e pdf.

Dado que nas últimas décadas tem havido muita pouca produção nacional de literatura de ficção científica, este é um projeto a parabenizar e a ter debaixo de olho. Ainda mais por ser uma série que podemos seguir passo a passo, semana a semana. Com potencial para se criar uma ligação emocional à história e às personagens. E há uma segunda temporada na calha. Para quem gostou de ler pela primeira vez esta “Segunda Vez”.

Esta série de aventuras é assinada por Gaspar Trevo (pseudónimo), de 38 anos, professor, investigador, agente cultural, há mais de uma década a residir fora de Portugal. As ilustrações são de Rui Lacas, que leva já três décadas de atividade na ilustração e na banda desenhada. Tem mais de uma dezena de álbuns publicados, vários premiados em Portugal e no estrangeiro. Entre os seus títulos contam-se “A Filha do Carangueijo”, “Obrigada, Patrão”, “Asteroide Fighters”, “A Ermida” e “Han Solo”.

Bem-vindos a este presente alternativo onde nos é permitido sonhar e imaginar a partir de uma outra Lisboa. Qualquer semelhança com esta poderá ser pura coincidência.