Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Rússia vai mesmo participar no festival da Eurovisão

Afinal não há boicote e está escolhida a representante que vai defender o país na gala, a realizar em maio, na Ucrânia. Trata-se de Yuliya Samoylova, uma cantora que usa cadeira de rodas e que já cantou na Crimeia, após a anexação russa

Afinal a Rússia não vai boicotar o festival da Eurovisão, hipótese que chegou a ser dada como certa pelo facto de a competição se realizar este ano na Ucrânia. O país não só vai estar presente, como já escolheu quem o vai representar: Yuliya Samoylova, 27 anos, que tem a particularidade de usar cadeira de rodas.

O anúncio foi feito no domingo, pela televisão estatal. A cantora interpretará em maio o tema “Flame is Burning”.

Músicas à parte, o nome da cantora foi rapidamente contestado, depois de a comunicação social ucraniana ter lembrado que Samoylova cantou na Criméia um ano após a anexação russa da península, em 2014.

A dúvida agora é se a Ucrânia vai barrar a artista, impedindo-a de entrar no país, em nome da “defesa da segurança nacional”, como já fairmou uma fonte oficial. Aconteceu ao ator francês Gérard Depardieu, por exemplo, por ter defendido a anexação da Criméia.

Em Moscovo, o porta-voz de Vladimir Putin, garantiu que o Kremlin quer “evitar politizar a Eurovisão”. “Não estamos de maneira nenhuma a fazer nada de provocador”, disse.

Samoylova prefere não pensar nos eventuais problemas. Cantar na Eurovisão é um desejo antigo, disse, e por isso “a minha missão é cantar bem a música, preparando-me para o espetáculo”.