Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Como miúdos na Idade da Pedra

PRÉ-HISTÓRIA . Jeffrey Brown mistura humor e ciência de forma inteligente

Depois de nos ter divertido com a vida doméstica de Darth Vader, o ilustrador americano Jeffrey Brown lança uma novela gráfica sobre jovens das cavernas

“A vida é uma seca na Idade da Pedra”, diz-nos uma personagem na capa da novela gráfica “Lucy & Andy Neanderthal”. Não vê, porém, que atrás de si um enorme mamute ergue a pata dianteira. Podemos garantir que nada é uma seca nos livros de Jeffrey Brown. Este ilustrador americano, de traço simples e humor corrosivo, é prolífico pai de obras divertidas, tendo dado à estampa mais de 20 nos últimos 15 anos.

Se desta vez Brown recua 40 mil anos para nos trazer dois miúdos pré-históricos, o que o tornou famoso foram contos passados “há muito tempo numa galáxia muito, muito distante…”. Autorizado a adentrar-se no “universo expandido” da saga “Guerra da Estrela”, desenhou e escreveu quatro volumezinhos hilariantes em que imagina a relação de Darth Vader com os filhos Luke e Leia enquanto crianças, e outros tantos sobre uma academia de Jedi para adolescentes (alguns destes títulos foram lançados em português pela Planeta).

SEQUELA. Para refrescar o próximo verão, Brown promete novo volume

SEQUELA. Para refrescar o próximo verão, Brown promete novo volume

De volta às cavernas, Lucy e Andy são irmãos como quaisquer outros, que vivem com os pais e o bebé Danny. Em banda desenhada, Brown conta as suas peripécias, aproveitando para dar umas luzes sobre a vida naquela época. Anacronismos à parte (linguagem contemporânea, comportamento próprio de teenagers do século XX), a obra tem base científica, escreve “El País”. O sítio Kirkus Reviews elogia os comentários mais sérios que encerram cada episódio da vida dos jovens, embora lastimando que Brown não indique um único dos “quase cem livros” que afirma ter lido na investigação para esta obra.

“Sempre me interessei por dinossauros e criaturas pré-históricas”, explicou o autor ao jornal espanhol, reconhecendo que as mais recentes descobertas arqueológicas contradizem a ideia feita que trazia da infância. Quis, pois, acicatar a curiosidade dos mais novos pela vida dos nossos antepassados longínquos, desfazendo mitos e estereótipos como cavernícola do tipo grunho ou a divisão entre homens caçadores e mulheres procriadoras. Não esqueçamos que todos temos cerca de 2% de ADN Neanderthal nos nossos genes…

SÉRIO. O tom humorístico não impede o tratamento de temas como a pintura rupestre, a caça ou a fauna pré-histórica

SÉRIO. O tom humorístico não impede o tratamento de temas como a pintura rupestre, a caça ou a fauna pré-histórica

Quem conhece a obra de Brown vai sentir-se em terreno familiar. O seu estilo é muito simples e despojado, destacando-se mais pelas narrativas do que pela riqueza gráfica. O sítio Publisher’s Weekly refere as “pistas espalhadas pelo livro acerca de uma lança perdida e de um mamute desaparecido, que se acumulam até ao clímax” e assegura que “os leitores com interesse em descobertas fósseis não vão conseguir pousar o livro, mas os que nunca pensaram na vida nas cavernas podem descobrir um novo interesse”.

“Lucy & Andy Neanderthal” Jeffrey Brown Editora: Crown Books 224 páginas $16,99 (16€)

“Lucy & Andy Neanderthal” Jeffrey Brown Editora: Crown Books 224 páginas $16,99 (16€)

“Lucy & Andy Neanderthal” foi designado melhor livro infantil de 2016 pela biblioteca pública de Nova Iorque e melhor livro para jovens leitores pela American Bookseller Association. Sem surpresas, Brown já anunciou sequela sobre a Idade do Gelo, para o verão, e trabalha num terceiro e último volume das aventuras dos jovens Neandertais. Como escreve “El País”, “a imaginação é a mais perfeita máquina do tempo”.