Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

“Moonlight” derrota “La La Land” nas distinções dos argumentistas

D.R.

Os prémios do Sindicato dos Argumentistas norte-americanos são encarados como um bom indicador para os Óscares. Mas neste caso o filme que conta com mais nomeações para as estatuetas douradas não saiu vencendor

Os filmes “Moonlight” e “Primeiro Encontro” foram os principais premiados pelo Sindicato dos Argumentistas norte-americanos, durante a cerimónia que decorreu no domingo à noite, em Los Angeles (EUA).

Os prémios, atribuídos a uma semana dos Óscares, resultam da votação de 1.200 membros do sindicato (Writers Guild, em inglês) e foram anunciados no hotel Beverly Hilton em Los Angeles.

O galardão de “Moonlight” foi atribuído pelo trabalho do argumentista Barry Jenkins, e ficou à frente dos argumentos de “La La Land: Melodia de amor” (o filme que conta com mais nomeações para os Óscares) e “Manchester by the Sea”, entre outros.

O filme, baseado na peça “In Moonlight Black Boys Look Blue”, está nomeado para oito Óscares.

O thriller de ficção científica “Primeiro Encontro” (“Arrival” no original), também nomeado para oito Óscares e escrito por Eric Heisserer, ultrapassou filmes como “Animais Noturnos”, “Vedações” e “Hidden Figures”.

O prémio para melhor argumento de documentário foi entregue a Robert Kenner e Eric Schlosser pelo filme “Command and Control”.

Nas categorias televisivas, “The Americans” venceu o prémio de melhor série dramática, pelo argumento de Peter Ackerman, Tanya Barfield, Joshua Brand, Joel Fields, Stephen Schiff, Joe Weisberg e Tracey Scott Wilson.

A série “Atlanta” venceu o prémio de melhor série cómica, pelo trabalho dos argumentistas Donald Glover, Stephen Glover, Jamal Olori, Stefani Robinson, Paul Simms, e conquistou ainda o galardão na categoria de melhor nova série.

No que toca ao melhor episódio dramático, o Sindicato dos Argumentistas escolheu “The Trip” (da série “This Is Us”), escrito por Vera Herbert. Na comédia venceu “Kimmy Goes on a Playdate!” (de “Unbreakable Kimmy Schmidt”), escrito por Robert Carlock.

Mais do que os Globos de Ouro, distribuídos pela imprensa internacional, os prémios dos diferentes sindicatos profissionais do cinema norte-americano (atores, realizadores, produtores e argumentistas), cujos membros fazem frequentemente parte dos eleitores nos Óscares, são indicadores fiáveis na corrida às preciosas estatuetas.

A cerimónia de entrega dos Óscares está agendada para 27 de fevereiro.