Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Museu de Arte Antiga abre as portas a obras suspeitas

A exposição “A Cidade Global”, com inauguração marcada para quinta-feira, esteve a ser instalada durante 
esta semana. Ao todo são cerca de 250 peças que tentam recriar a Lisboa renascentista

Alberto Frias

Reputados historiadores portugueses consideram falsos dois quadros da exposição “A Cidade Global”

Miguel Cadete

Miguel Cadete

Diretor-Adjunto

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

A autenticidade do quadro na origem da exposição “A Cidade Global – Lisboa no Renascimento”, no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, está a ser contestada. Os historiadores João Alves Dias e Diogo Ramada Curto consideram falsa a pintura “A Rua Nova dos Mercadores”, peça central da exposição que será inaugurada na quinta-feira, com a presença de Luís Filipe Castro Mendes, ministro da Cultura.

Alves Dias garante ao Expresso tratar-se de “um quadro forjado no século XX a imitar o passado”. Ramada Curto desenvolve, em ensaio publicado este sábado na Revista E, a tese de que a finalidade da pintura é perpetuar a ideia “patrioteira” de um Portugal neotropicalista.