Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Quer ajudar a salvar Van Gogh?

O município de Auvers-sur-Oise, em França, onde se encontram sepultados os irmãos Van Gogh, lançou uma campanha de crowdfunding para obras de restauro urgente no cemitério. Quer contribuir?

Não é preciso ser um entendido em arte para apreciar o génio do pintor holandês pós-impressionista que morreu aos 37 anos, com um tiro na cabeça. O talento de Vincent Van Gogh, imortalizado em dezenas de autorretratos e paisagens campestres de Auvers-sur-Oise, os bucólicos campos soalheiros que tanta influência tiveram na sua produção artística, é universalmente consensual. Foi lá que Van Gogh passou os últimos 70 dias da sua vida, pintando cerca de um quadro por dia. E foi nesses mesmos campos que o seu corpo foi encontrado. No dia 30 de julho de 1890, o seu corpo encontrou eterno descanso no cemitério desta terra, a 30 km de Paris.

Muitos dos autorretratos de Vincent Van Gogh foram pintados nos seus últimos 70 dias de vida, em Auvers-sur-Oise

Muitos dos autorretratos de Vincent Van Gogh foram pintados nos seus últimos 70 dias de vida, em Auvers-sur-Oise

Mario Tama

Hoje, mais de 100 anos depois, as duas singelas lápides dos irmãos Van Gogh mantêm-se inalteradas. Mas o pequeno cemitério da terra, pensado para receber entre 5000 a 10.000 visitantes por ano, conta com uma peregrinação anual de cerca de 250.000 pessoas. "É o cemitério mais visitado em França a seguir ao Père-Lachaise", assegura Dominique-Charles Janssens, presidente do Instituto Van Gogh, referindo-se ao célebre cemitério de Paris onde se encontram enterradas personalidades como Jim Morrison ou Edith Piaf, que são motivo de verdadeiras romarias.

Para fazer face a um restauro urgente, Auvers-sur-Oise e o Instituto Van Gogh lançaram uma campanha para "salvar os túmulos dos irmãos Van Gogh". O custo estimado é de 600.000€, para proteger as lápides que foram danificadas pelas fortes chuvadas da última primavera e também para instalar sistemas de drenagem, iluminação e segurança adequadas. E para impedir, por exemplo, os visitantes de terem os pés dentro de água quando vão visitar a última morada do pintor.

A Igreja de Nossa Senhora da Assunção de Auvers, imortalizada por Van Gogh, também é alvo de uma campanha de 'crowdfunding' para reconstruir o telhado

A Igreja de Nossa Senhora da Assunção de Auvers, imortalizada por Van Gogh, também é alvo de uma campanha de 'crowdfunding' para reconstruir o telhado

MIGUEL MEDINA

A campanha de 'crowdfunding' estende-se à reconstrução da Igreja de Nossa Senhora da Assunção de Auvers, que Van Gogh imortalizou num quadro, e que sofreu sérios estragos no telhado aquando das fortes chuvadas de outubro de 2015.