Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu o pai do “Pac-Man”

Masaya Nakamura (ao centro) numa foto de 2005 em que surge ladeado pelo presidente e pelo vice-presidente da sua empresa

KAZUHIRO NOGI/GETTY

O japonês Masaya Nakamura começou com uma empresa que fabricava cavalos mecânicos, mas mais tarde viria a tornar-se num pioneiro de jogos arcade, como o famosíssimo “Pac-Man”, o boneco amarelo, com a forma de pizza sem uma fatia, perito em percorrer intermináveis labirintos

Masaya Nakamura, o pioneiro dos jogos arcade como o clássico “Pac-Man” morreu aos 91 anos a 22 de janeiro, segundo foi anunciou esta segunda-feira o site da sua empresa Bandai Namco.

Tendo tido formação técnica na universidade de Yokohama, Nakamura fundou a Namco (Nakamura Amusement Machine Manufacturing Company) em 1955, na altura como uma empresa que instalava cavalos mecânicos nos telhados de lojas, mas mais tarde viria fundir-se com outra empresa de jogos. a Bandai.

Foi com essa nova empresa que viria a tornar-se pioneiro dos jogos arcade. “Pac-Man” - que no ano passado foi considerado pelo site US Gamer como o jogo de arcade mais lucrativo de sempre – foi criado em 1980. O boneco que percorre labirintos intermináveis foi concebido por Tori Iwatani, inspirado na imagem de uma pizza sem uma fatia. “Pac-Man” conquistou as consolas de jogos, antes de se tornar num produto de merchandising, presente em séries de TV, parques temáticos e mesmo num filme.

Em 1993, a empresa expandiu o seu negócio para o cinema com a compra da Nikkatsu, a mais antiga produtora japonesa.

Nakamura, que ainda mantinha uma posição honorária na sua empresa, fora distinguido pelo Governo japonês com a Ordem do Sol Nascente pelos seus serviços para a indústria.