Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu o pianista João Balula Cid

Rui Duarte Silva

Ao longo de 40 anos de carreira, Balula Cid desenvolveu inúmeras colaborações, lançou discos a solo e tocou para diversos programas televisivos

O pianista João Balula Cid, de 59 anos, morreu esta terça-feira de madrugada num hospital em Lisboa, vítima de cancro.

O corpo do pianista, com uma carreira de 40 anos, será velado a partir de quarta-feira às 17h, na Basílica da Estrela, em Lisboa, onde, às 21h30, é celebrada uma missa.

Na quinta-feira, às 13h30, é celebrada a missa de corpo presente, seguindo-se o funeral para o cemitério do Alto de S. João, também em Lisboa, onde será cremado.

No percurso, “por vontade expressa do pianista”, será feita “uma paragem simbólica no Colégio Militar, onde foi aluno”, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

Em março do ano passado, o pianista foi homenageado pelos 40 anos de carreira na Academia Almadense, em Almada, nos arredores de Lisboa, num espetáculo em que participaram “voluntariamente mais de 40 artistas”.

João Balula Cid iniciou os seus estudos musicais com Cândida Mota Pereira, no Colégio Moderno, em Lisboa, e Jaime Silva, já no Colégio Militar, também na capital, tendo-os prosseguido com a compositora e pedagoga Francine Benoît, na Academia de Amadores de Música, em 1975, e, mais tarde, com Leonor Leitão, no Conservatório Nacional.

Balula Cid frequentou o Real Conservatório de Música, em Toronto, no Canadá, e posteriormente a Universidade de Montclair, em Nova Jérsia, nos Estados Unidos, em 1980, onde fez parte da classe de Edmund Battersby, e foi também aluno de Konrad Wolf, com quem estudou música para tecla de J. S. Bach.

Depois de terminar o curso de piano, já como bolseiro da Mary and William Shrieve Foundation of America, foi admitido na Columbia University, em Nova Iorque, onde obteve o grau de “Master of Fine Arts in Arts Administration”.

Entre outros, o pianista participou nos álbuns “Tributo a José Afonso”, com Victor Almeida e Silva, e “Canções da República”, com o tenor Carlos Guilherme.

O pianista João Balula Cid foi uma presença regular nos ecrãs televisivos, tendo participado, entre outros, nos programas “Há Horas Felizes” e “Santa Casa” durante 14 anos, e na RTP Internacional no “Jardim das Estrelas”, durante toda a sua duração, em mais de 150 emissões.
“Praça da Alegria”, “Turno da Noite”, “Natal dos Hospitais”, “O Amigo Público”, “Tributo” e “12 Meses 12 Temas” foram outros programas onde participou, tendo ainda sido pianista e diretor musical de “A Outra Face da Lua”, na RTP 2, com apresentação de Júlio Isidro.

Como concertista, Balula Cid atuou em Portugal, Canadá, EUA, México, Espanha, França, Bélgica, Países Baixos, Luxemburgo, Itália, Suécia, Noruega, Inglaterra, Rússia, Cazaquistão, Região Especial de Macau, Timor-Leste, Austrália e Alemanha, onde, entre 1991 e 1992, foi diretor musical e pianista no Hotel Kempinski em Berlin

Em Portugal, de 1993 a 1996, foi pianista residente no Casino Estoril, nos arredores de Lisboa.
Entre outros, Balula Cid participou nos álbuns “Tributo a José Afonso”, com Victor Almeida e Silva, e “Canções da República” e “É Natal”, com o tenor Carlos Guilherme.

Em dezembro de 1997 produziu e editou o seu primeiro CD como pianista solista, “On Broadway”.

A sua discografia inclui ainda “At the movies - A magia do Cinema”, “Pintei Versos, Escrevi Quadros - Poesia de Moita Macedo”, álbum que contou com a participação de Maria Barroso, Rosa Lobato de Faria, Vitor de Sousa e José Fanha, “...E Quase Tudo foi Possível”, com Nicolau Santos, “Roome for All”, com Yvonne Roome.