Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

“Escaping the KKK”, a série que o A&E não quis que o mundo visse

Exibição da série documental encomendada pelo canal norte-americano foi cancelada

DR

Apenas cinco dias depois de anunciar uma nova série documental sobre o Ku Klux Kan, o A&E decidiu cancelar a sua exibição. Em causa está a forma como foi “Escaping the KKK” produzida, com pagamentos ao grupo supremacista. O Expresso conseguiu ter acesso ao trailer oficial, entretanto apagado das contas oficiais do canal

Olhar de perto para quem trabalha no resgate de pessoas ligadas à promoção do ódio, ajudando-as a deixarem o Ku Klux Klan.” Era esta a premissa da série documental de oito episódios do canal norte-americano A&E e a estreia estava marcada já para o próximo mês de janeiro, mas o canal preferiu cancelar a exibição da mesma.Os anúncios da série estiveram disponíveis durante apenas cinco dias, com o canal a tomar a drástica decisão depois de descobrir que a This is Just a Test — uma produtora externa contratada para a produção do trabalho documental de longo formato— tinha pago aos participantes para que estes “facilitassem o acesso” aos rituais da organização.

O principal problema é de ordem ética, uma vez que o pagamento de qualquer quantia vai contra as normas pré-estabelecidas pelo A&E para a produção de documentários. “O A&E leva muito a sério a autenticidade da sua programação documental e os temas do racismo, do ódio e da violência”, explicou o canal emissor em comunicado. Tudo aconteceu de forma repentina e em plena quadra natalícia, pelo que a decisão acabou por ter um alcance muito mais baixo do que seria de esperar. De acordo com o mesmo comunicado, o A&E já tinha assegurado previamente ao público e aos seus parceiros, como as associações antirracistas Anti-Defamation League e Color of Change, “que não tinha existido qualquer pagamento aos membros de grupos de ódio”.

Apesar dos esforços do A&E para apagar “Escaping the KKK: A Documentary Series Exposing Hate in America” da história do canal, o Expresso conseguiu ter acesso ao trailer oficial. O vídeo, apagado de todas as contas oficiais do canal nas redes sociais, mostrava as primeiras imagens da série e seria usado como material de divulgação do polémico documentário.

Uma produção polémica desde o ínicio

A série, que inicialmente tinha o título de “Generation KKK”, acabou por ver o nome alterado para “Escaping the KKK: A Documentary Series Exposing Hate in America”. Tudo aconteceu depois de várias vozes críticas expressarem que qualquer tipo de produção televisiva sobre o grupo supremacista norte-americano podia levar as pessoas a normalizarem o discurso de ódio perante as minorias.

O A&E acabou por concordar com a alteração, para “garantir que ninguém possa confundir-se quanto à sua finalidade e que um título não sirva só por si para normalizar o Klan”. Em simultâneo, o canal firmou diversas parcerias com as duas organizações de defesa dos direitos civis supra-citadas, com o intuito de se produzirem materiais relacionados com a série. Em causa estariam guias de visionamento, um compêndio educativo e a participação da Anti-Defamation League e da Color of Change num debate a emitir no final da série. A decisão é definitiva e “Escaping the KKK” nunca será exibida.