Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Música para a época de festas

A Orquestra Clássica do Sul tem atuações marcadas para o Cine-Teatro Louletano e para o Teatro das Figuras

Rui Pinheiro

Com programas ecléticos onde se escutarão polcas e valsas de Viena, música sacra e opereta, a música, essa esmerada forma de amor, traz uma plêiade de concertos para a quadra dos festejos natalícios

Com alguns auditórios a anunciar lotações quase esgotadas, de norte a sul do país, vários espetáculos musicais surgem no calendário como um outro tipo de ‘festas de pirotecnia’ num período que decorre do Natal ao Dia de Reis, época de tradições e de comemorações com fogos de artifício, petardos, panelas e tachos que se batem e sinos que repicam, bulício que pretende enterrar os detritos do ano que termina, afastando más recordações e ‘maus espíritos’. Mas, paradas, comezainas, mergulhos em águas geladas e maratonas à parte, nada disto substitui um bom momento de música!

Um dos centros de gravidade de muitos dos programas manifesta-se através de valsas, polcas e quadrilhas, o repertório perfeito para o espírito de festa que condensa os brindes do Natal e do réveillon com os votos do Ano Novo, num ritual de concertos que a 1 de janeiro conhece um dos seus momentos culminantes em Viena, na sala do Musikverein, de onde se transmite em direto o Concerto de Ano Novo para mais de 50 países, espetáculo com audiência ‘planetária’ que será dirigido pelo maestro Gustavo Dudamel em 2017. A origem do Concerto de Ano Novo em Viena surgiu num período negro da história austríaca, servindo para recordar à população que tinham existido tempos melhores e que havia que contemplar o futuro com um olhar de esperança, alargando-se o propósito a muitos outros países por esse mundo fora.

De Braga a Loulé e a Faro, os músicos das nossas orquestras nacionais não vão ter um minuto de descanso. Hoje à noite, no Porto, na Sala Suggia, o Coro e a Orquestra Barroca da Casa da Música propõem o programa intitulado “Santíssimo Natal” na Casa da Música. Pelas 21h, o conceituado maestro Laurence Cummings dirige obras de Alessandro e de Domenico Scarlatti, Corelli e Jacob Handi Gallus. E para a tarde de hoje (18h30), em Faro, no Teatro das Figuras, a Orquestra Clássica do Sul preparou um concerto especial dedicado às crianças, com a apresentação de peças de Elgar, Grüber, Mendelssohn, L. Anderson e Luís Soldado, autor do conto musical “O Sorriso Mágico de Sofia”.

A 1 (18h) e a 2 (21h30) de janeiro, celebra-se a chegada do Ano Novo em Aveiro com um programa inspirado nas partituras de Johann Baptist Strauss, o “Rei da Valsa”. Sob a direção do maestro António Vassalo Lourenço, a Orquestra Filarmonia das Beiras atua no Teatro Aveirense com polcas e valsas de Viena. O convidado especial dos dois concertos é Mário Laginha, que aproveitará a oportunidade para revisitar as suas composições acompanhado pela orquestra. No dia 5 de janeiro, às 21h30, o público do Theatro Circo de Braga tem a oportunidade de aplaudir o mesmo programa e os mesmos intérpretes.

Em Lisboa, destacam-se espetáculos distribuídos pela Igreja de São Roque, pelo Teatro Nacional de São Carlos e pelo Centro Cultural de Belém. No Dia de São Silvestre, o maestro Jorge Matta dirige o Coro e a Orquestra Gulbenkian no imponente cenário barroco da igreja do Largo da Misericórdia (17h). O repertório inclui dois “Te Deum”, um do século XX, o do compositor da Estónia Arvo Pärt, e um outro do século XVII, da autoria de Marc-Antoine Charpentier. No dia 3 de janeiro, às 21h, o Teatro de São Carlos acolhe um programa intitulado “Viagem entre Paris e Viena”, dirigido pelo maestro David Parry. Nesta ocasião, a Orquestra Sinfónica Portuguesa apresenta-se com suítes da ópera “L’Arlésienne”, de Bizet, a “Glória”, de Poulenc, e ainda com árias das operetas “La Belle Helène”, de Offenbach, e de “O Morcego Voador”, de J. Strauss. Susana Gaspar e Maria Luísa de Freitas são as solistas anunciadas.

Ao longo de cinco espetáculos, dirigidos pelo maestro polaco Sebastian Perlowski, a época de festas será devidamente assinalada pelos músicos da Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML). No dia 1, às 17h, o concerto está marcado para o Centro Cultural de Belém, no dia 4, às 21h, os músicos apresentam-se em Almada, no Teatro Municipal Joaquim Benite e, no dia 6, às 21h30, viajam até ao Porto para interpretar quadrilhas, polcas e marchas de Viena no Coliseu. No dia 7, às 22h, e sempre com o mesmo programa, o concerto da OML está marcado para o Convento de São Francisco, em Coimbra. No dia 8, às 16h, a atuação da OML decorre no Auditório Municipal Augusto Cabrita, do Barreiro.

No Algarve, a entrada em 2017 é saudada com concertos agendados para Loulé e Faro. No dia 1 de janeiro, às 16h e às 18h, a Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo maestro Ben Palmer, anuncia um programa no Cine-Teatro Louletano com valsas vienenses e ainda com peças de Mozart, Beethoven e Brahms. Para o dia 5 de janeiro, às 21h30, está marcado o Concerto de Ano Novo no Auditório Pedro Ruivo, de Faro, ocasião em que 30 instrumentistas da Strauss Festival Orchestra irão interpretar um programa de homenagem ao compositor do “Danúbio Azul”, a valsa que, em 2017, comemora os 150 anos da sua criação.