Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O que se esconde atrás do Natal

NASCIMENTO. “A Adoração dos Magos”, de Domingos Sequeira, da coleção do Museu Nacional de Arte Antiga

d.r.

Ver para lá do bruáa natalício é a proposta de hoje. O livro é de um padre, mas dirige-se a crentes e não crentes

Perdoará o leitor cansado da temática natalícia, mas o autor quinzenal desta coluna não resiste ao espírito da quadra. Não para acrescentar ao cansaço, que partilha quando o Natal é ruído e consumo desenfreado, mas para apontar outros caminhos, outros pontos de vista e, dado que é o que aqui nos traz, outras leituras. De preferência as que nos interpelam e intrigam, as que nos retiram da zona de conforto, razão pela qual o ateu que escreve estas linhas arrisca propor o livro de um padre.

O autor de “Hidden Christmas”, Timothy Keller, é pastor presbiteriano em Manhattan e escritor elogiado pelo diário “The New York Times”. A obra que hoje sugerimos dirige-se a todos os públicos, sem barreiras de idade ou fé. E versa sobre o Natal na sua origem, que é como quem diz que perscruta o nascimento de Cristo enquanto raiz de festividades hoje centradas na família, nos amigos e em bons sentimentos que nos fariam bem ao longo de todo o ano.

Keller prefere, num volume breve, pegar no fio condutor do relato bíblico da Natividade e enriquecê-lo com dados de contexto histórico, nomeadamente dos tempos do politeísta império romano em que o Cristo histórico nasceu. “É fácil imaginar este livro como um sermão que pudesse proferir”, escreve a Publishers Weekly, louvando o raciocínio “intelectualmente convincente” do autor. Este tenta explicar a leigos fenómenos metafísicos que vão da Imaculada Conceição à Encarnação de Deus em Cristo, analisando os versículos correspondentes mas “sem assumir um tom de claque”, isto é, sem proselitismo mas estimulando a mente do leitor, prossegue o crítico.

A paz ou a espada?

Talvez por isso, Keller puxa menos pela narrativa que todos repetimos anualmente e vai buscar passagens menos óbvias, como aquela em que Simeão (o idoso presente na circuncisão de Jesus, no Templo) diz a Maria: “Esta criança está destinada a causar a queda e a ascensão de muitos em Israel, e a ser um sinal contra quem falarão, de tal forma que os pensamentos de muitos corações serão revelados. E uma espada irá também trespassar a tua própria alma” (Lucas, 2:33-35). É Simeão quem diz o famoso Nunc dimittis (algo como “Agora despede [o teu servo]”), expressão presente em cânticos e na liturgia do Natal. Simeão pede a Deus que o leve, que o deixe morrer, pois só durara aqueles anos todos para ver o Menino, sobre quem faz a impressionante profecia.

Keller considera “compreensível” que esta última não apareça tantas vezes nos festejos. É claramente menos alegre do que o tom geral do Advento. Mas é, a seu ver, “parte do que a Bíblia nos conta sobre o significado do Natal”. É que “as celebrações laicas e eclesiásticas são quase inteiramente centradas na doçura e na luz”, mas estas não surgem do nada. O autor dá um exemplo: “Como é que um cirurgião pacifica o teu corpo se este tiver um tumor? Ele verte o teu sangue, corta-te, porque é o único caminho para a saúde”. E aqui lembra-nos um excerto de outro evangelho, o de Mateus (10:34), quando Jesus diz: “Não suponham que vim trazer paz à terra. Não vim trazer paz, mas uma espada”. Não para fomentar violência, mas porque está ciente de que a sua vinda e a sua mensagem não serão bem recebidas por todos.

“Hidden Christmas” Autor: Timothy Keller, Editora: Viking, 160 páginas, $13,75 (€13,16)

“Hidden Christmas” Autor: Timothy Keller, Editora: Viking, 160 páginas, $13,75 (€13,16)

Keller defende que “não é preciso ser Jesus Cristo para alguém ficar furioso connosco por expormos o que verdadeiramente são”. Que é outra forma de dizer que a verdade às vezes dói e que talvez devamos procurá-la mais nestes dias de iluminações e presentes. Não para com ela magoar, mas para que uma certa limpeza nos permita viver mais plenamente.