Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

E a força está com “Rogue One” na bilheteira

d.r.

Os resultados de bilheteira dos primeiros dias de exibição – entre a estreia, na quinta-feira, e por todo o fim de semana - levam os ponteiros do sucesso ao vermelho. Em apenas quatro dias (15 a 18), “Rogue One” rendeu mais de 277 milhões de euros

Luís Proença

Antes da aritmética, os senhores da Disney, que investiram 3.820 milhões de euros na aquisição da Lucasfilm, há quatro anos, iam dizendo que não apostavam todas as fichas num grande sucesso de bilheteira para a estreia de “Rogue One – Uma História de Star Wars”. Punham as expectativas em baixo, alegando, nomeadamente, que se trata do primeiro filme da saga “Guerra das Estrelas” fora da linha narrativa centrada na família Skywalker; um filme mais negro; uma história de guerra.

Surpresa! Os resultados do “box office” dos primeiros dias de exibição – entre a estreia e por todo o fim de semana - mostram que, em apenas quatro dias, “Rogue One” fez acima dos 277 milhões de euros na venda de bilhetes, considerando todos os países onde está a ser rodado (com exceção da híper populosa China e da Coreia do Sul, onde ainda não está a rodar nas salas).

A prequela da “Guerra das Estrelas”, que segue um grupo de rebeldes numa missão suicida para roubar os planos de uma estação espacial muito perigosa, superou muitas expectativas e inscreveu-se já em diversas galerias de honra (e consequentemente de bom “marketing” para todo o ciclo comercial de vida desta mega produção). Nos Estados Unidos, “Rogue One” obtém o título de segunda melhor estreia de sempre em dezembro - mês de lançamento de “blockbusters” por excelência, devido às férias escolares associado e ao tempo invernoso, mais convidativo ao entretenimento “indoor”.

Em Portugal, de acordo com os dados disponibilizados pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), entre a “première” da passada quinta-feira e a última sessão de domingo a prequela da Guerra das Estrelas foi vista por cerca de 68 mil e quinhentos espectadores, tendo gerado uma receita bruta ligeiramente acima de 425 mil euros.

Sétima estreia mais vista de sempre

Na quinta-feira de estreia, o filme atingiu o melhor resultado do ano nas bilheteiras com as vendas de ingressos fixadas acima dos 27,7 milhões de euros, tendo superado “Batman vs Super-Homem - O Despertar da Justiça”, cuja receita se tinha aproximado dos 26,5 milhões, e “Capitão América - Guerra Civil”, que rondou os 23,9. “Rogue One” entrou diretamente para o sétimo lugar das estreias de cinema mais vistas de sempre.

Na versão ecrã gigante da IMAX foi projetado em 401 salas na América do Norte, tendo totalizado mais de 3,5 milhões de euros – a fatura mais gorda de sempre para as estreias neste formato. À volta do mundo, e tudo somado, a venda de bilhetes para as sessões dos dois primeiros dias de exibição (nalguns países as estreias são às quartas-feiras) somou 31,5 milhões. No top de caixa, o Reino Unido é o número um fora dos Estados Unidos, seguido pela Austrália, Alemanha e França. Com o ano quase a chegar ao fim, “Rogue One” foi a estreia mais vista nas salas de cinema australianas, alemãs, austríacas, belgas, escandinavas e suíças. Se quiser pode espreitar o trailer AQUI (https://youtu.be/frdj1zb9sMY)

A Disney já tem plano para seguir adiante em novos “spinoffs” ao estilo de “Rogue One”. O próximo filme em que estão a trabalhar vai focar-se nos primeiros anos da vida de Han Solo.