Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Um Aires Mateus para pôr na sala

Esta noite, às 19h, na galeria de arte Gabinete, poderá ver (e comprar) uma edição de três exemplares de um múltiplo concebido pelo arquiteto Manuel Aires Mateus. Chama-se "Entre o Céu e a Terra" e é em prata maciça

Pode nunca vir a ser suficientemente abonado para ter uma casa assinada pela dupla de arquitetos Aires Mateus, mas agora talvez consiga tornar-se o dono legítimo de uma obra de Manuel Aires Mateus – e tê-la na sua sala de estar. Uma edição de três exemplares – um múltiplo, como é habitual na galeria de arte de que Delfim Sardo é curador (o Gabinete ao Príncipe Real, em Lisboa), em prata maciça, concebida por este arquiteto, será apresentada esta noite.

A peça chama-se "Entre o Céu e a Terra" e é um pesado cubo de 4 cm3. Concebida durante dois meses, foi depois executada numa ourives do Porto, Margarida Miranda, durante um mês. "Foi a primeira vez que fiz um múltiplo volumétrico", explica-nos o arquiteto Manuel Aires Mateus. "Quando o Delfim me convidou para fazer 'qualquer coisa' – um briefing "péssimo" (risos) –, pensámos em experiências bidimensionais, mas interessava-me mais realizar uma obra volumétrica. Na base da peça está uma preocupação que nos persegue em arquitetura, que é a representação do espaço como ausência. Queríamos que a matéria fosse algo muito forte, daí a escolha pela prata."

Pelo seu surpreendente peso, e pelo "brilho", Aires Mateus imagina a sua peça "sobre uma superfície escura, para se tornar mais autónoma e ganhar mais contraste."

O múltiplo criado por Manuel Aires Mateus para o Gabinete consiste em dois cubos de prata que se interligam.

O múltiplo criado por Manuel Aires Mateus para o Gabinete consiste em dois cubos de prata que se interligam.

Esta é a primeira parceria do Gabinete com um arquiteto, ainda por cima um nome maior da arquitetura portuguesa contemporânea – Manuel Aires Mateus é um dos arquitetos nacionais presentes na Bienal de Arquitetura de Veneza, a par de Souto de Moura. O múltiplo, de três exemplares, tem um preço individual de 1400 euros, estando um já reservado. Esta noite, às 19h, o arquiteto estará presente na galeria lisboeta, para apresentar esta parceria com Delfim Sardo.

É a primeira vez que o arquiteto Manuel Aires Mateus faz "um múltiplo volumétrico". O tema é caro aos arquitetos: "a representação do espaço como ausência"

É a primeira vez que o arquiteto Manuel Aires Mateus faz "um múltiplo volumétrico". O tema é caro aos arquitetos: "a representação do espaço como ausência"