Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Museu de Arte Antiga: visitante destrói imagem de São Miguel quando tentava tirar foto

Um visitante destruiu este domingo, 6 de novembro, esta estátua do Arcanjo São Miguel no Museu Nacional de Arte Antiga

Um visitante destruiu uma estátua de São Miguel, quando tentava fotografar a imagem do século XVIII, ao final da manhã deste domingo. A peça, em madeira e talha dourada, estava em cima de uma base e tinha um perímetro de proteção

“É o preço a pagar pela gratuitidade do 1º domingo de cada mês”, diz Nuno Miguel Rodrigues, o visitante que fotografou e partilhou a imagem de São Miguel que este domingo ao fim da manhã caiu na sequência de um toque de alguém que a estava tentar fotografar esta escultura em madeira e talha dourada no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA).

O sub-diretor do MNAA, José Alberto Seabra Carvalho – que está a viajar para Lisboa, vindo de Viseu, onde esteve a montar uma exposição no Museu Grão Vasco – disse ao Expresso que a peça é da “segunda metade do século XVIII”.

Seabra Carvalho disse ainda que os técnicos de restauro vão avaliar a peça acidentada: “Uma avaliação aprofundada deve estar concluída” amanhã. “Foi um incidente muito infeliz, mas não foi um ato deliberado ou de vandalismo. É preciso avaliar se os danos abrangem zonas de encaixe” ou se a estátua “foi mesmo fraturada”, visto ser constituída por várias peças independentes.

“Estou há largos anos no MNAA e não me recordo de nenhuma situação semelhante”, acrescentou Seabra Carvalho: “Mas não é um caso inédito noutros museus”.

O homem que fotografou o acidente

Na sua página de Facebook, Nuno Miguel Rodrigues, partilhou a foto da imagem que ficou destruída com este comentário: “O pior dia para visitar o MNAA”.

Depois, nas respostas aos comentários e às perguntas que surgiram na sequência do seu post, Rodrigues comenta: “Um visitante decide tocar na estátua derrubando-a sob o olhar incrédulo dos demais. Isto aconteceu hoje no Museu Nacional Arte Antiga”.

Um funcionário contactado pelo Expresso informou que se realizaram muitas visitas guiadas na manhã deste domingo. Recorde-se que as entradas são gratuitas no primeiro domigo de cada mês.

Na sua página do Facebook, Rodrigues diz que não conseguiu perceber se foi “um toque, um encosto, nem deu para descobrir tal foi a consternação”, provocada pelo acidente com a estátua.

Diretor já tinha alertado

No início de setembro, António Filipe Pimentel, director do Museu Nacional de Arte Antiga, lançou um alerta numa conferência em que participou: “Um destes dias há uma calamidade no museu” porque se anda a “brincar ao património”.

Nessa intervenção, António Filipe Pimentel disse que “as necessidades do Museu Nacional de Arte Antiga são totalmente diferentes, em escala, das necessidades dos outros museus”, como então escreveu o jornal “Público” na edição de 2 de setembro.

Pimentel disse ainda que só tinha “64 pessoas [para a totalidade do museu e todas as suas responsabilidades, não apenas para a vigilância] para 82 salas abertas ao público. De certeza absoluta que um destes dias há uma calamidade no museu. Só pode, porque andamos a brincar ao património. Mas a esta altura todas as tutelas dispõem de toda a informação cabal do que vai acontecer, mas quando acontecer abre os telejornais”, avisou.

O acidente com a imagem do século XVIII aconteceu cerca do meio dia deste domingo. O sub-diretor do MNAA disse ao Expresso que a peça “tem um valor histórico muito considerável, embora seja uma obra de época. A equipa de restauro espera poder recuperar a peça no mais curto espaço possível, para voltar a ser exposta”.

Atualizado às 18h26