Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Pessoa e Saramago: uma nova ligação direta

Nuno Fox

Entre 16 e 30 de novembro, os “Dias do Desassossego” animam as instituições que levam o nome dos dois escritores, bem como outros locais em Lisboa

Luís M. Faria

Jornalista

Podemos chamar-lhe uma ligação direta entre duas instituições culturais que levam o nome dos dois escritores mais conhecidos do século XX em Portugal. Uma das instituições é a Casa Fernando Pessoa, em Campo de Ourique, outra a Fundação José Saramago, próximo do Terreiro do Paço. Durante duas semanas, uma série de eventos – conversas, leituras, passeios, concertos musicais, espectáculos diversos – vão animar ambos os espaços, bem como outros igualmente públicos e as ruas de Lisboa. E ainda, naquela que será a parte mais invulgar do programa, o Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL).

A iniciativa chama-se “Os Dias do Desassossego” e acontece entre 16 e 30 de novembro. Começa com um espectáculo teatral, no dia do que seria o 94º aniversário de José Saramago, a partir do conto “A Ilha Desconhecida”. Três dias depois arrancam os passeios literários pelas ruas de Lisboa (pagos, ao contrário da maioria dos eventos) e a 20 tem lugar um concerto pelo quarteto André Fernandes, no qual os músicos interpretam os livros que lêm. É também um concerto que encerra o programa, com os poemas ingleses de Pessoa transformados em canções, na Casa do poeta e no aniversário da sua morte.

Pelo meio, além dos eventos onde o texto e as questões literárias assumem predominância, obras do ilustrador André da Loba estarão visíveis numa parede do Príncipe Real. E entre 21 e 26, na Ala G do EPL, um grupo de reclusos irá “revisitar e reescrever” a obra de Pessoa, com vista a um recital dentro do recinto prisional onde a assistência não se limitará aos residentes e aos funcionários.