Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Saiba por onde “d’bandar” num Porto onde a música portuguesa atraca

  • 333

É já amanhã que milhares de melómanos e curiosos vão andar em D’Bandada pela baixa do Porto. Fique a conhecer alguns dos principais concertos e os respetivos horários e locais

André Manuel Correia

Na sexta edição do NOS D’Bandada são mais de 50 concertos de entrada livre em 14 espaços, mais ou menos habituados a acolher espetáculos deste género. Com um formato irreverente e alternativo, o evento põe o público em movimento para ver e ouvir artistas nacionais. Miguel Araújo, “You Can’t Win, Charlie Brown”, Orelha Negra, Bonga e First Breath After Coma são alguns dos principais destaques. Desde o Coliseu ao Passeio das Virtudes, ou do parque de estacionamento Silo Auto até à Praça dos Poveiros, ninguém para ao longo de 11 horas de música.

Para o Silo Auto esta não é uma estreia como sala de espetáculos, mas integra pela primeira vez a rota do NOS D’Bandada. A partir das 16h30, Miguel Araújo fará ecoar no parque de estacionamento canções que escreveu para outros artistas, como António Zambujo, Carminho ou Ana Moura.

Um dos espetáculos mais aguardados vai para o concerto de “You Can’t Win, Charlie Brown”, que tem novo disco (“Marrow”) pronto para ser lançado a 7 de outubro e do qual foi extraído o primeiro ‘single’ “Above the Wall”. A atuação do sexteto realiza-se no Passeio das Virtudes, pelas 21h30. No mesmo local, às 23h, a banda portuense Salto joga em casa e promete animar com melodias “indie pop” o local que dá nome ao último álbum.

Às 00h30, na Praça dos Poveiros, Orelha Negra traz até ao público portuense o seu hip-hop híbrido, com influências “funk” e “soul”. Em julho deram a conhecer o segundo ‘single’ de avanço (“Parte de Mim”) do seu terceiro registo discográfico.

No Coliseu Porto os ritmos são quentes e africanos com Selma Uamusse (18h45), Kimi Djabaté (20h) e Bonga (21h30). Mesmo ao lado, no Passos Manuel, as sonoridades são mais contemplativas e, às 23h, atua o guitarrista “Filho da Mãe”.

Sem sair da mesma zona, é só atravessar a rua e deixar-se levar até ao Maus Hábitos, espaço cultural onde os amantes de música independente portuguesa encontram ali uma autêntica Meca. Entre as 16h e as 21h, passam por ali Cachupa Psicadélica, Quelle Dead Gazelle, Surma e os First Breath After Coma, que recentemente lançaram o “single” “Gold Morning Days”.

Pelo icónico Cave 45, mítico espaço da panorama underground portuense, passam Fugly (á meia-noite), The Lemon Lovers (1h) e The Dirty Coal Train (2h).

Na Rua Cândido dos Reis, às 0h30, há um DJ Set a cargo de Nuno Lopes.

A partir das 15 horas, na Cordoaria, inicia-se uma programação dedicada a atividades infantis.

Os horários de todos os concertos nos diversos locais pode ser consultado aqui.