Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Premiado restauro da Igreja e Torre dos Clérigos

  • 333

Após os trabalhos de restauro, uma nova igreja nasceu nos Clérigos

Rui Duarte Silva

Prémio Vasco Vilalva, atribuído anualmente pela Fundação Calouste Gulbenkian, atribuiu ainda menção honrosa à sede da Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitetos

Na sua nona edição, o Prémio Vasco Vilallva distinguiu o projeto de restauro e recuperação da Igreja e Torre dos Clérigos com uma verba no montante de €50 mil. Atribuído todos os anos pela Fundação Gulbenkian, o prémio sublinha a qualidade geral da intervenção de conservação e restauro realizada no âmbito das comemorações dos 250 anos da construção da torre.

O júri, constituído por Dalila Rodrigues, António Lamas, José Pedro Martins Barata, José Armento de Matos e Rui Esgaio, decidiu por unanimidade e destacou o “respeito pela integridade física dos sistemas construtivos existentes, preservado e restaurados com recurso a técnicas tradicionais, as adequadas metodologias de conservação e restauro do património artístico integrado”.

Foi assim possível recuperar e revalorizar retábulos, órgãos, sanefas, púlpitos, varandins, escaiolas ou pinturas de fingimento, entre outros elementos de madeira.

Numa comunicação a propósito da atribuição do prémio sublinha-se ter pesado na decisão do júri “a intervenção de conservação e restauro e a introdução de infraestruturas necessárias, designadamente nas áreas de acessibilidade e segurança, que transformaram as condições de visita à Igreja e Torre dos Clérigos”.

As obras na igreja permitiram que fosse descoberta uma cripta do século XVIII com pelo menos dez sepulturas. O presidente da Irmandade dos Clérigos admitiu na altura que uma delas seja de Nicolau Nasoni, o arquiteto que há mais de 200 anos projetou o monumento.

O espaço intervencionado rondou os 4.500 metros quadrados. Foram instalados 13 quilómetros de cabos elétricos e gastos 60 quilos de algodão, 140 mil folhas de ouro e 200 litros de álcool etílico. O investimento total foi de 2,6 milhões de euros, comparticipados em 1,7 milhões pelo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN). Os restantes 800 mil euros ficaram a cargo da Irmandade dos Clérigos, com recurso a financiamento do programa Jessica.

O júri do Prémio Vilalva atribuiu uma menção honrosa ao projeto das novas instalações da Sede da Secção Regional Norte da Ordem dos arquitetos, da autoria do gabinete NPS (Neto, pereira, Silva) Arquitos associados.