Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Ministro da Cultura “perplexo” com declarações de diretor do Museu de Arte Antiga

  • 333

Luís Filipe Castro Mendes afirma estar “um pouco perplexo” face à atitude do diretor do Museu de Arte Antiga, que disse que um dia poderia acontecer “uma calamidade”. Possíveis reações ficam para depois do regresso do ministro do Brasil.

O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, afirmou hoje estar "um pouco perplexo com a atitude do senhor diretor do museu de Arte Antiga", António Filipe Pimentel, que afirmou ontem que "um destes dias, há uma calamidade no MNAA (Museu Nacional de Arte Antiga)". O diretor deste museu com um acervo fundamental da cultura portuguesa integrava um painel de convidados num debate promovido pela Escola de Quadros do CDS-PP, em Peniche, e fundamentou as suas declarações: "O museu tem 64 pessoas para 82 salas abertas ao público. De certeza absoluta que um destes dias há uma calamidade no museu. Só pode, porque andamos a brincar ao património. A esta altura, todas as tutelas dispõem de toda a informação cabal do que vai acontecer - mas quando acontecer, abre os telejornais".

Hoje, no Porto, o ministro da cultura reagiu assim: "Não entendo que o senhor diretor do Museu Nacional de Arte Antiga, sem me dar qualquer conhecimento e tendo reunido comigo na semana passada, venha dar alarme até na comunicação social e dar alarme público, porque não se pode dizer que uma casa não está segura, é quase um convite ao assalto", declarou à Lusa.

Luís Filipe Castro Mendes contou que já chamou Pimentel para despacho, para que "esclareça" as declarações feitas no decurso da reunião promovida pelo CDS-PP. O ministro recordou que tem tido "despachos" com o diretor do MNAA, e que por isso mesmo, não compreende que se venha queixar "em reuniões partidárias" de assuntos que sempre tratou com transparência. Afirmou ainda: "Tenho com o senhor diretor do Museu Nacional de Arte Antiga uma boa relação de trabalho. Temos discutido muito, tenho ido muito ao Museu Nacional de Arte Antiga e conheço os problemas do MNAA, como conheço os problemas de todos os museus do país. Todos os museus nacionais têm problemas, têm falhas, têm carências que nós estamos a procurar responder através de um esforço solidário".

Castro Mendes adiou outras decisões para o regresso da sua viagem ao Brasil, onde irá ter vários encontros com agentes culturais e responsáveis ligados ao ensino e à divulgação da língua portuguesa no país. Acrescentou ainda que "para já" não irá acontecer o afastamento do diretor do Museu Nacional de Arte Antiga.

Com Lusa

  • “Um dia destes há uma calamidade no Museu Nacional de Arte Antiga”

    O alerta foi lançado pelo próprio diretor da instituição, António Filipe Pimentel, referindo que têm apenas 64 funcionários para 82 salas abertas ao público e que nova galeria, recentemente inaugurada pelo Presidente da República, só não fechou no dia seguinte porque politicamente seria dramático