Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Veneza já viu "São Jorge", um dos grandes filmes portugueses de 2016

  • 333

Um filme onde os 'anos da troika' impregnam todos os poros

D.R.

"São Jorge" leva a crise portuguesa a Veneza, num registo duro, seco, sem contemplações

Foi, na tarde desta quinta-feira, o filme de abertura da secção Orizzonti do festival, onde cabem obras que fogem aos cânones dominantes. E abriu com fragor, já que pôs no grande ecrã da sala Darsena um país dilacerado de dívidas, de caminhos sem saída, de empresas falidas, desempregados e chico-espertos, de gente a esbracejar por ficar à tona de água num filme onde os bons atores portugueses (enorme é, de novo, Nuno Lopes) se misturam com gente do povo, rostos marcados, pobreza incrustada na pele.

"São Jorge" é a história de um operário que pratica pugilismo, mas a que a vida, a ausência de treinos regulares, a pobreza, transformou num 'saco de pancada' quando sobe ao ringue para amealhar uns trocos. A fábrica tem salários em atraso há meses e está prestes a encerrar, a mulher trocou-o por outro, deixando-lhe o filho a maior parte do tempo, Jorge tem de viver em casa dos pais, amontoado num bairro social onde, das paredes às almas, tudo parece em desagregação. Arranja, depois, trabalho numa empresa de cobranças difíceis onde nem se apercebe que a sua missão há de ser esmurrar pessoas que sejam mais avessas a pagar o que devem. Até um dia...

Marco Martins filma uma realidade social sufocante como algo que se embebe em cada centímetro quadrado da imagem, em cada fragmento de som. É a tessitura que o cineasta tinha experimentado em "Alice", mas com maior densidade, muito mais maturidade e controlo. Não são os eventos, as linhas do argumento que o decidem - na maior parte do filme parece que nem se passa nada, Jorge caminha, vai de um para outro lugar, mas é a constância do seu movimento que assevera a tensão, o medo, a angústia. São os materiais específicos do cinema - imagem e som - que travejam aquele que é, com toda a certeza, um dos grandes filmes portugueses de 2016. Veneza viu-o esta quinta-feira, em estreia mundial, a estreia portuguesa está agendada para o princípio de novembro.