Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu Toots Thielemans, “o rei da harmónica do jazz”

  • 333

RICK NEDERSTIGT/Getty Images

Toots Thielemans tocou ao lado de gigantes do jazz como Charlie Parker, Miles Davis e Ella Fitzgerald, tendo ainda colaborado com Frank Sinatra, Peggy Lee, Quincy Jones e Billy Joel e Edith Piaf. É considerado um dos melhores harmonicistas de sempre

Helena Bento

Jornalista

O músico Toots Thielemans morreu esta segunda-feira, aos 94 anos. A notícia foi avançada por jornais belgas e confirmada pela sua agente, Veerle Van de Poel, que explicou que o músico belga morreu durante o sono.

Considerado um dos melhores harmonicistas de sempre - era conhecido como “o rei da harmónica do jazz” - Toots Thielemans, nascido Jean-Baptiste Thielemans (o nome artístico era uma espécie de homenagem ao saxofonista norte-americano Toots Mondello e ao compositor e trompetista Toots Camarata), tocou ao lado de gigantes do jazz como Charlie Parker, Miles Davis e Ella Fitzgerald, tendo ainda colaborado, ao longo dos seus 70 anos de carreira. com Frank Sinatra, Peggy Lee, Quincy Jones, Billy Joel e Edith Piaf.

“Perdemos um músico excecional e uma pessoa muito calorosa. Os meus pensamentos estão com a família e os amigos de Toots Thielemans”, escreveu o primeiro-ministro belga, Charles Michel, na sua conta no Twitter.

Nascido em 1922 em Marolles, em Bruxelas, numa família da classe média, Toots Thielemans chama a atenção pela primeira vez em 1947, quando acompanha o clarinetista norte-americano Benny Goodman numa tournée pelos Estados Unidos. Em 1951, emigra definitivamente para os EUA, aí tocando com músicos conhecidos. É em 1962 que compõe a famosa “Blusette”. A sua harmónica pode ser ouvida em filmes como “O Comboy da Meia-noite” (1969), de John Schlesinger, e no génerico da série infantil “Rua Sésamo”.

Toots Thielemans terminara a sua carreira em 2004, devido a problemas de saúde.