Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Reações: "Morte de uma pérola"

  • 333

Amigos e companheiros de teatro recordam Camilo de Oliveira

Herman José salientou-lhe o profissionalismo "exemplar" e a verticalidade. "Não imagino vida mais completa: profissionalismo exemplar, amores totais, caráter, verticalidade e alguns inimigos de estimação pelas razões certas", escreveu Herman José na sua página de Facebook, pouco tempo depois de a imprensa ter dado a notícia da morte do ator. Herman destacou ainda as qualidades profissionais de Camilo, que comparou com o dramaturgo norte-americano Arthur Miller, autor da peça "Morte de um Caixeiro Viajante", e casado em 1956 com a atriz Marilyn Monroe: "Se fosse uma peça, a vida do Camilo de Oliveira estaria ao nível do melhor Arthur Miller", disse.


Em declarações à Lusa, o ator Luís Alberto, que contracenou com Camilo num dos últimos programas de televisão do ator, lamentou a perda de um "excelente comediante" e enalteceu as qualidades pessoais do ator. "Tínhamos um bom relacionamento e uma grande amizade, e deixa-me muito boas recordações", afirmou Luís Alberto.


A morte de Camilo de Oliveira também lamentada pela atriz Maria Emília Correia que a classificou como a "perda de uma pérola" do teatro português.

"Camilo de Oliveira era um carimbo de garantia de que as pessoas se iam divertir, rir a bom rir, gargalhar", afirmou o ator Vítor de Sousa, recordando uma vida dedicada ao teatro e à comédia. "Muitas pessoas saíam de casa sem saber o nome da peça ou da revista em que ele participava, mas como era com o Camilo de Oliveira era para divertir e isso acontece com poucas pessoas. Era um carimbo de garantia de que as pessoas se iam divertir, rir a bom rir, gargalhar e tinham no Camilo essa garantia", declarou Vítor de Sousa.

Já o investigador Luciano Reis considerou Camilo de Oliveira um dos maiores decanos da história do teatro e da interpretação em Portugal, que atuou em quase todos os teatros no país e nas ex-colónias. "É um exímio na arte de representar, nomeadamente no campo da farsa, da comédia", disse o académico, acrescentando que o ator foi também "um bom construtor de textos" e dirigente de atores.

A cantora e atriz Simone de Oliveira recordou o comediante como um homem bom, com um temperamento por vezes "nada fácil", mas muito amado por todos."Trabalhei muito com ele, o Camilo foi o ator que foi, todos sabemos, viveu uma vida boa e longa", disse Simone de Oliveira.

O Presidente da República enviou hoje uma mensagem de condolências à família de Camilo de Oliveira em que se refere ao ator como uma das figuras essenciais da comédia popular portuguesa, da qual fica "uma grata memória". "Ainda há poucas semanas tive oportunidade de recordar histórias antigas, no hospital onde o ator estava internado. Porque a vida de Camilo de Oliveira é uma vida de histórias: mais de seis décadas de teatro, de Buarcos ao Parque Mayer, programas de televisão marcantes como "Sabadabadu" e as sucessivas séries de "Camilo" (o nome próprio bastava para identificá-lo)", escreveu Marcelo Rebelo de Sousa na mensagem publicada na página de internet da Presidência.