Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Quem vai ser o próximo James Bond?

  • 333

DR

De todos os nomes o que neste momento parece mais bem posicionado para ser o próximo James Bond é o ator Tom Hiddleston, que recentemente vimos na série “O Gerente da Noite”

Tom Hiddleston, Idris Elba, Damien Lewis, Jamie Bell ou... Gillian Anderson? A lista dos candidatos a ver o seu nome na ilustre lista ao serviço do agente 007 está a ganhar dimensão e a gerar apostas. Apesar de não ter havido um anúncio oficial por parte do ator Daniel Craig, mas sob cada vez mais recorrentes rumores de que não voltará a vestir a pele da personagem que ajudou a revitalizar nestes últimos filmes da série (o “Daily Mail” contou que terá recusado uma soma de 89 milhões de euros para fazer mais dois filmes), os candidatos colocam-se em linha para ser notados. E as casas de apostas traduzem, depois, a popularidade e expectativa que cada um deles coloca em cena.

De todos os nomes o que neste momento parece mais bem posicionado para ser o próximo James Bond é o ator Tom Hiddleston (que recentemente vimos na série “O Gerente da Noite”, baseada numa obra de John le Carré). A notícia de um eventual encontro tido, há pouco mais de uma semana, entre o ator e a produtora Barbara Broccoli e o realizador Sam Mendes (que assinou os dois mais recentes “Skyfall” e “Spectre”) levou mesmo os betting agents a ter de reagir perante o surto de apostas no seu sentido, suspendendo-as.

Já este ano, quando em fevereiro correu entre os noticiários uma primeira indicação de que a ligação de Daniel Craig a James Bond estaria por um fio, foi Idris Elba (o Stringer Bell de “The Wire”) o nome mais citado entre apostadores, surgindo então destacado nas apostas, logo seguido por Damien Lewis (uma das figuras de “Homeland”). O facto de haver um ator negro na corrida ao lugar não era já absoluta surpresa, uma vez que, em 2015, o Ian Flemming Estate chamou David Oyelowo para fazer o audiolivro de “Trigger Mortis”, de Anthony Horowitz, baseado na figura de James Bond. Curiosamente, Oyelowo e Daniel Craig vão estar juntos, este outono, numa produção de “Otelo” de Shakespeare num pequeno teatro em Nova Iorque.

A ‘luta’ pelo lugar do sucessor de Daniel Craig há muito que deixou de surgir apenas entre os rumores e já merece declarações e até exibições em público. George Lazenby, que foi James Bond apenas por um filme (em 1969, em “Ao Serviço de Sua Majestade”, o único até aqui com imagens filmadas em Portugal), tomou já o partido de Idris Elba. E há poucos meses, na cerimónia dos BAFTA (os prémios do cinema britânico), Idris Elba e Tom Hiddleston encenaram uma breve luta, numa clara alusão à mediatização da corrida ao lugar de 007.

A mais surpreendente das notícias recentes sobre o ‘caso’ 007 surgiu esta semana, com a atriz Gillian Anderson (a Scully dos “Ficheiros Secretos”), que publicou na sua conta no Twitter uma imagem que a sobrepunha ao clássico cano da pistola, uma das mais célebres iconografias do universo de James Bond. E dizia: “It’s Bond, Jane Bond”, acrescentando minutos depois, naturalmente com humor, que iria “vender a alma ao diabo” para ser a primeira mulher escolhida para o papel. O facto é que a declaração causou furor e abriu mais uma linha de discussão neste assunto.

Também esta semana o “The Sun” avançava que Jamie Bell (o protagonista de “Billy Elliot”), agora com 30 anos, teve encontros informais com os produtores dos filmes da série... Depois de Sean Connery, George Lazenby, Roger Moore, Timothy Dalton, Pierce Brosnan e Daniel Craig, o casting para o novo Bond promete ser um dos ‘casos’ do ano.