Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Pedra portuguesa em périplo pelo mundo

  • 333

Pedro Sadio

A hora do granito e do mármore português chega ao mundo pela mão da Assimagra e com assinatura da Experimentadesign. Encontram-se no programa Primeira Pedra, para juntar arquitetos e designers e a indústria que trabalha estas matérias-primas

Será Siza Vieira um dos arquitectos a lançar a Primeira Pedra, já no próximo dia 25 deste mês, num acontecimento que irá anteceder a Bienal de Arquitetura de Veneza 2016, que abre portas a 28 deste mês.

Este é o primeiro passo de um programa ambicioso, que promete promover o granito e o mármore das pedreiras nacionais, associando designers e criativos à indústria da pedra, numa ação promovida pela Assigrama (Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores e Granitos e Ramos Afins), que será posta em circulação com o carimbo da Experimentadesign.

Este projeto, arquitetado com parcerias internacionais e que teve como base uma investigação sobre o potencial e as particularidades do mármore e do granito portugueses, pretende pôr em movimento a indústria empresarial do sector e os meios de produção artística.

Assim, a partir de Veneza e até outubro de 2017, Primeira Pedra vai circular entre Basileia, Nova Iorque, Milão, Dubai, Londres e Lisboa, levando à boleia arquitetos e designers gráficos e de produto, convidados a desenvolver trabalhos a partir destes materiais, numa vertente que também pretende construir um diálogo entre as peças que irão desenvolver e o meio ambiente onde se inscrevem. A ideia é criar uma reflexão conjunta do lugar cultural e socioeconómico das pedreiras nacionais e de como esta história pode ser contada e articulada no mundo.

Em torno desta matéria-prima - cujo valor foi pesado num extenso programa de pesquisa que percorreu o país e que inclui uma variedade de mármores e granitos existentes no nosso solo - desenvolveram-se três projetos centrais. O primeiro, Resistence, arranca agora em Veneza, pondo cinco arquitetos a trabalhar sobre a resistência dos materiais, entre eles o chileno Alejandro Aravena e Siza Vieira, o convidado desta edição para representar Portugal na Bienal, ou Amanda Levete, a autora do novo edifício do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia da Fundação EDP.

Depois de lançada esta Primeira Pedra, seguem-se Milão e Dubai, em abril de 2017, cujo centro será Still Motion, e juntará designers gráficos. A segunda fase de Resistence, terá lugar em Basileia durante a Feira de Basel, em junho de 2017 (onde outros convidados, também arquitetos irão trabalhar em conjunto com pedreiras nacionais). Common Sense, o terceiro passo da Primeira Pedra, convidará alguns designers de produto a apresentar trabalhos em Nova Iorque e Londres, entre maio e setembro do próximo ano.

Depois do seu périplo internacional, o programa termina no território nobre do nosso mármore, Vila Viçosa, com workshops e visitas às pedreiras, que também será cenário de um espetáculo multimédia.